https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

e, habitas-me

 
.
.
.
.
.
.
.
.
.......................................
***************************************

Habitas-me
com as malas, as viagens, esses livros rasgados,
apocalipses teus, nossos, revelações em nevoeiros
que teimam em ficar,
como se só o tocar não fosse além de um nenhures uma vez imaginado,

única vez.

E, desarrumas-me,

não saberei escrever da coragem, da solidão,
das noites que se perdem, das que se bastam
quais andorinhas em voos rasantes,
tantas as palavras escondidas procurando significados ou imagens refletidas,

silêncios acompanhados.


E, toca-me a alvorada esquecida,

desassombra-me colando os pedaços,
estilhaços espalhados pelo chão de madeira,
um dia em árvore, um dia em barco
vogando conforme a direção dos ventos de norte em procelas sem fim.

E, desço,

pelas margens do mar , os mesmos lugares
que se repetem, as mesmas noites que ficam
paradas ansiosas, expectantes,

querendo que a luz não se extinga mesmo sabendo-me aprisionado.

Habitas-me,
e, desarrumas-me,

por uma última vez, única, revelo-me.

(Ricardo Pocinho)



"Floriram por engano as rosas bravas
No inverno:veio o vento desfolha las..."
(Camilo Pessanha)

http://ricardopocinho.blogspot.com/

 
Autor
Transversal
 
Texto
Data
Leituras
941
Favoritos
5
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
61 pontos
15
3
5
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 23/07/2013 17:58  Atualizado: 23/07/2013 17:58
 Re: e, habitas-me
um poema que é a proa rasgante de um amor navegante que teima chegar ao cais vislumbrado de alto mar. belo poema, Ricardo. parabéns.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 23/07/2013 19:02  Atualizado: 23/07/2013 19:20
 Re: e, habitas-me p/ Ricardo
era um poema que eu gostaria de ter escrito. não pela sua altivez, ou pela sua forma, mas.. pela idéia em si. pois, é algo que me compreende. é algo que me denota em incursão de fatos, e dados, e quaisquer sejam as suas definições e "entrementes"..

pois,
habita-me a deserção de ter jogado fora, algo que ainda me faz caminhar..


eu:
que te agradeço, desta vez


Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 23/07/2013 19:51  Atualizado: 23/07/2013 19:51
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2092
 Re: e, habitas-me
Fico feliz por estar de volta, Ricardo.
Sua poesia enriquece esta Arte de escrever a vida.

Um ótimo dia!

Helen.


Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 23/07/2013 21:29  Atualizado: 23/07/2013 21:29
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16203
 Re: e, habitas-me
Poeta
Belíssimo! Parabéns pela inspiração! Gostei imensamente da leitura! Beijos!
Janna


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 24/07/2013 01:50  Atualizado: 24/07/2013 01:50
 Re: e, habitas-me
cumpre-se sempre
o nevoeiro
nas almas desalinhadas
escassas de reencontros
de reencontrarem-se

e os caminhos
sempre
solitários
ofuscantes
brancos

deles
sabe-se
serem sempre em frente
seja lá para onde o frente for

e sem destino
é o norte que se impõe,
e para lá
não é preciso mala

[sem se saber onde deixar as pegadas
preferível
o caminho curto]


Sorrio-te


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 24/07/2013 18:00  Atualizado: 24/07/2013 18:00
 Re: e, habitas-me
Ler-te é um prazer , caro Poeta.

Este poema fala e canta à alma...harmonioso e contagioso.

Obrigada pela deliciosa partilha!

Um abraço,

ALICE


Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 25/07/2013 03:23  Atualizado: 25/07/2013 03:23
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: e, habitas-me
... é como orar em silencio
e o silencio estar fora de si... em palavras maísculas.
é bem assim te ler.
Ricardo, obrigada. bjs


Enviado por Tópico
IsabelRFonseca
Publicado: 09/02/2019 10:22  Atualizado: 09/02/2019 10:22
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade: Algures em Portugal
Mensagens: 2734
 Re: e, habitas-me

Sem palavras
É sem dúvida um grande poeta
meu amigo
um abraço Ricardo Pocinho - Transversal



Habitas-me,
e, desarrumas-me,

por uma última vez, única, revelo-me
.