Poemas -> Amor : 

EVOÉ

 
EVOÉ
 
 
A tua música move-me...
Quero ouvir-te mais perto.
A dança que fazes em mim desconcerta-me;
queria eu ser profetisa das tuas dádivas,
bacante do teu amor, descobrir o suprassumo
do que és e beber-te na taça das divindades;
ver-te muito além do que os meus limitados
olhos veem... quero sentir-te.
Ah! Esta candura singular que me comove,
melodia que permeia sonhos encantados!...
A tua voz narra-me o enredo da vida, da
vida que me anima em ti; deixa-me morar
em teu interior, beber em teu doce dormitar
o vinho de todos os amores, provar mel de lábios
deleitosos que proveem a eternidade.
Teu ser é dileto dos deuses, guardiães de maior
tesouro... do teu apreço.
Ora eu sei sobre diamantes lapidados em
mansidão... olhos que espreitam minha
alma na noite dos tempos evocam-me à
maioridade.
Meu ser afetado por teu afeto cambaleia ao
paraíso, meu passo açodado em teu ditoso
sentimento, é marcha, é jornada, é evolução!...
Sobeja em mim a tua boca, o teu ameno gesto,
grandioso existir... vida que explode em mim
neste diminuto planeta chamado coração.


Cacau Loureiro

 
Autor
cacauloureiro
 
Texto
Data
Leituras
427
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 17/01/2015 02:26  Atualizado: 17/01/2015 02:26
 Re: EVOÉ
«Ora eu sei sobre diamantes lapidados em
mansidão... olhos que espreitam minha
alma na noite dos tempos evocam-me à
maioridade.»

Vi aqui o privilégio do futuro.