Poemas : 

ser(te)

 
Como uma sombra
uma dor
como uma chaga no peito
uma abertura na noite escura
na imortalidade da alma
uma paz sem cor
uma ternura ao teu redor
no ódio e no amor
Serei(te)
(nesta redoma inerte que te vive)


Como uma ave negra
um encantamento
uma voz na treva
um chamamento
um desejo ardente
quente
na carne que se imiscui
um espírito
uma alma
que te possui
Serei(te)
(quando o orgasmo grita em silêncio)


Como um anjo do inferno
caído
perdido
tombado na celestial queda
com as asas rasgadas
no corpo de uma mulher
consumida
consumada
forjada pelo fogo
pela sombra amada
Serei(te)
(enquanto dormitares em chamas ardentes)


Como um agouro
um canto amaldiçoado
uma cruz perdida
um vulto escondido
imperfeito
mas não vencido
uma alma à deriva
nesta corrida esquecida
lembrada à memória
vertida à pele
aonde os tempos contam a história
do que sou
sendo o que nunca fui
sendo o que te sou
Serei(te)
(nas mil páginas escritas e reescritas pelo sangue da vida)


Como um fantasma de vida
que não se vê

ou canta
como um penado vivo - espectro!
deambulando dentro de ti
e por ti
à noite
no quarto onde te deitas
aleitas
e te vens
Serei(te)
(o caos perfeito quando te tocas e sentes!)


"Quanto maior a armadura, mais frágil é o ser que nela habita!"



 
Autor
Gothicum
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1023
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
34 pontos
2
4
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 07/01/2015 17:05  Atualizado: 07/01/2015 17:05
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 18165
 Re: ser(te)
Parabéns Poeta
Sombrio e encantador! Adorei!
Beijos!
Janna

Enviado por Tópico
SofiaDuarte
Publicado: 13/01/2015 17:05  Atualizado: 13/01/2015 17:05
Da casa!
Usuário desde: 19/12/2008
Localidade: Portugal
Mensagens: 338
 Re: ser(te)
Nunca me canso de embeber cada letra que vais pernoitando por aqui,

Parabéns por toda essa capacidade fantástica de preencher-me de abismal magnificência.

Um abraço,
SD