https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

ARDENTE

 
Tags:  SONETOS 2005  
 
ARDENTE

Sinto ao beijar-te os lábios tão perfeitos
Que a mim se tornaram quase um vício.
Não que ignore d'Amor a arte ou o artifício
A ponto de jamais te ver defeitos.

Na dúvida do quanto ainda afeitos,
Seja o desejo a nós melhor indício!
Se, após, não deixar mínimo resquício,
Partamos sem rancores ou despeitos.

Tu, bela, o prazer tens como promessa,
Mas não mais que esse gozo prometido
Temos para nos dar se o amor perdido.

Agrademo-nos, pois, a toda pressa!
Antes que passe o ardor dos desvarios
E em teus lábios só deixe os olhos frios...

Belo Horizonte – 29 05 2005


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
401
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.