https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Sobrevida

 
de alguma forma
há esse espanto
neste instante
quase vazio,
quase meu.

celebro o meu olhar
nas dobras dos anos,
nas coisas ainda brancas
escondidas até de mim.

tem sido difícil
ser força,
ser muro
e rocha.

tem sido covardia
matar a poesia
que ainda me resta.

mas eis
que o fim
inaugura algo
que me entende
e por mais que seja
estranho
apenas a ofegante poesia
ainda me surpreende.

karla bardanza
 
Autor
Karla Bardanza
 
Texto
Data
Leituras
1971
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
2
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
MaryFioratti
Publicado: 28/10/2016 13:07  Atualizado: 28/10/2016 13:07
Colaborador
Usuário desde: 09/02/2014
Localidade:
Mensagens: 2380
 Re: Sobrevida
Karla,
Como gosto de suas poesias! Que saudade tinha de le-las.
Essa poesia, tao humana, tao forte, tao verdadeira.
Em cada linha.
Obrigada pela partilha. Realmente especial para mim le-la outra vez.

Abracos!



*Mary Fioratti*

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 28/10/2016 16:14  Atualizado: 28/10/2016 16:14
 Re: Sobrevida
Karla,

Linda poesia! Forte, marcante, muito intensa.

Prazer ler-te novamente.

Um beijo,

Anggela