https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Ciúme

 
Tags:  ausência    angústia    ciÚme    incerteza  
 
Um vazio que em seu todo é completo
Vem repleto da ausência que carrega
E se apega ao que virá por certo
Do incerto horizonte que o amor lega

Essa angústia no peito hoje aperto
Por despeito das vestes que a ti pega
Já de longe a desejo cá bem perto
No enredo da cilada que me cega

Lobo artilhado me lanço ao combate
Em libertária lide c’a certeza;
Duelar até que a franqueza, destarte,
Estraçalhe os destroços da fraqueza

Mediante a incerteza que há no ciúme
Inócuo insistir dar-me ao queixume

 
Autor
Manito
Autor
 
Texto
Data
Leituras
506
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
atizviegas68
Publicado: 29/08/2017 11:34  Atualizado: 29/08/2017 11:35
Colaborador
Usuário desde: 09/08/2014
Localidade: Açores
Mensagens: 1365
 Re: Ciúme
A descrição da malha de um sentimento ou sentir surge em cada verso com a imagem de "vazio", "ausência", "longe" e "incerteza" e também com o ardil do sentimento ou do sentir em "No enredo da cilada que me cega", Lobo artilhado me lanço ao combate" e "Duelar até que a franqueza (...)".
O leitor experimenta no seu poema o sentimento humano produzido pela falta de exclusividade do sentimento, da dedicação de quem se gosta e a falta de confiança e apego ao outro.
Termina, prendando o leitor, com a máxima da sabedoria "Mediante a incerteza que há no ciúme/Inócuo insistir dar-me ao queixume".
Belissimo poema. Obrigada.

Um abraço

Nirvana

"Viver assim: sem ciúmes, sem saudades,
Sem amor, sem anseios, sem carinhos,
Livre de angústias e felicidades,
Deixando pelo chão rosas e espinhos (...)"
Antero de Quental
http://folhadepoesia.blogspot.pt/2012 ... na-antero-de-quental.html