https://www.poetris.com/
Poemas -> Saudade : 

MEIO DA BOA, MEIO DE PROSA!

 
Se ajunte a nós, moço!
Arroche a todos com abraço forte,
Isso é tudo de bão.
Meio dedo da boa
Mais meio de prosa,
Um café ralo de rapadura
Biscoito frito na hora
Orvalho dormindo na folha da bananeira
Bezerro novo no curral
Porco mais velho no chiqueiro
E a conversa correndo solta
Vem moço, se ajunte a nós
Antes que o sono pegue a gente
E põe todo mundo pra dormir
Vem gente,
Traga a sanfona
Violão e pandeiro
Traga a benzedeira
A rendeira
A fazendeira
E a meeira
Segura Deus, na minha mão
Essa noite tem que ser inteira
Não quero dormir não
O trem aqui tá mió de bao
Boa noite pra quem não veio


José Veríssimo

 
Autor
veríssimo
 
Texto
Data
Leituras
127
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.