https://www.poetris.com/
Poemas : 

FRISCO BAY (BAÍA DE SÃO FRANCISCO)

 
Esse mar já viu tanta coisa
Mesmo essas águas mansas que se renovam
e ainda, o morro, a montanha
assistiram: famílias que se separaram
seus capos como Al Capone
chegando sozinhos
humilhados e algemados
para habitar o presídio de Alcatraz
sombrio e solitário no alto da ilha.

E depois jovens que deliravam
nos labirintos espelhados
de eus multiplicados
que aqui vinham
depositar as suas dúvidas.
A paisagem não reage
permanece inalterada.

Naquele final da tarde, no vento frio de dezembro
o músico canta e toca no banjo Lady Madona
para turistas congelados.
O leão marinho ruge
e aquele albatroz, sozinho na beira do Pacífico
ajambrado e com um gorro na cabeça, sou eu.


Luiz Felipe Rezende


 
Autor
Luizfeliperezende
 
Texto
Data
Leituras
72
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 12/09/2018 21:01  Atualizado: 12/09/2018 21:01
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9018
 Re: FRISCO BAY (BAÍA DE SÃO FRANCISCO)
Boa tarde Luiz Felipe Rezende, teus versos nos dão conta de que os elementos da natureza são testemunhas temporal dos acontecimentos cotidianos que lhes orbitam, parabéns pelo vosso eloquente poema, um abraço, MJ.