https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

CARTA ABERTA

 
Carta aberta

Queira-me como eu sou. Que eu te quero exatamente como és. Não precisa querer ofertar-me a lua, ela nunca será de ninguém, mas de todos ao mesmo tempo. O seu amor já é suficiente.
Não me faça promessa para o amanhã, pois amanhã a Deus pertence. Dê-me a eternidade desse momento, que eu sei; é o mais puro e sincero que me pode oferecer. Nunca devemos querer mais do que podemos, assim somos eu e você!
Foi assim que eu me permiti ser sua e você se permitiu ser meu, nesses doces e (eternos) momentos.
Fizeste-me nua de mim, nua de pudores, defeitos, imperfeições e preconceitos. Fizeste-me assim... O melhor que eu posso ser e sou intensamente feliz quando estamos juntos.
Eu sei que não posso querer mais do que isso... Jamais, pedirei pra ficar, se essa não for a sua vontade, mas também não quero que me prenda a você de modo insensato. Fique quanto puder quanto quiser, como quiser...
Eu não posso querer-te de outra forma, eu só posso querer-te como posso, como que devo, exatamente assim como você é, exatamente assim com te conheci, como te encontrei!

 
Autor
DI MATOS
Autor
 
Texto
Data
Leituras
810
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
ângelaLugo
Publicado: 03/04/2008 03:35  Atualizado: 03/04/2008 03:35
Colaborador
Usuário desde: 04/09/2006
Localidade: São Paulo - Brasil
Mensagens: 14977
 Re: CARTA ABERTA p/ DI MATOS
Querida poetisa

Não podemos querer mais do que podemos
ter...Momentos felizes é tudo o que
podemos aproveitar a cada momento...
Gostei muito pela realidade com que
escreveu...

Beijinhos no coração