https://www.poetris.com/
Textos -> Outros : 

Diários de oficina, de mercado e de pensão - IV

 
Pensão
Cheguei ainda pouco com uma latinha, enchi os baldes e requentei a minha gororoba. Banhei-me e agora deitado, mamo a ela. As oito, Jean me apanhou fomos ao deposito da Aço Maranhão na Avenida dos Portugueses comprar as barras e aproveitei para trazer a chapa de zinco. Uma delas é para fazermos um fôrma experimental para os bloquetes.
Claridio apareceu, estava no Maiobão na casa de um 'chegado'. Jean também comprou uma talhadeira no Calçadão do La Sierra e negociamos uma mochila estilosa. Ontem Raimudinho falou para mim apanhar umas roupas. Dos dez reais, evaporou-se tudo - essa é a minha puta vida - bebo tudo que ganho.
Morreu o diretor italiano Bertolucci, discípulo do genial Pier Paolo Pasolini - digitei e postei um texto "Diarios de Oficina", que apenas meu velho amigo haitiano Bibi que mora em algum lugar da Florida curtiu.
Não estou muito legal - uma angustia inexplicável, chateado - bocejo insistemente. Tudo bem.. tento me controlar.. confuso

 
Autor
r.n.rodrigues
 
Texto
Data
Leituras
83
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.