https://www.poetris.com/
Poemas : 

Consciência bifurcada

 
Sigo então
Na intermitente linha reta da vida
Cheia de curvas
Na simetria imperfeita do inesperado.
Sigo no caos
De não poder contar com a sorte
No breu
De admitir que o futuro é uma ilusão.
Sigo na tênue esperança
Autossustentável e autoconfiante
E na incessante incerteza
De que o carma é um absurdo.
Mas, sigo na paz
Do meu ceticismo no destino
E na fé do meu mantra:
"Carpe diem"


Jeferson

 
Autor
Jdcc1
Autor
 
Texto
Data
Leituras
50
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.