https://www.poetris.com/
Poemas : 

Trancos e barrancos

 
Trancos e barrancos

Somos assim..
Feitos de barro e osso
Nascemos nus
E ficamos vestidos
Assim somos nós
Eu e você..
Crentes
Discrentes
No ora pro nobis
Ouvimos vozes
E estilingues em ação
Rachando telhados de vidro
Por ma
Ou boa sorte
Comemos papa
De dedo atolado
Mamãe queria
Nos ver fortes
E crescido
Pra ser gente decente
Bem educada
Vestimos calsas
De suspensole apertado
E ver a viver a vida
Com muito cuidado
Dormi na rede de cordão
Com balanços
Lado para outro
Fui muito embalado
Chupando bico
Tive o choro calado
Tudo para acordar
Os vizinhos
Àquilo era errado
Chore não neném
Sua mãe tá aqui
Do seu lado
Seu pai foi trabalhar
Daqui a pouco
Chega em casa
Trazendo na mente
E na mochila
Algo de bom
Pro seu crescimento
Farinha na cuia
É proverbo português
Que se dane
Que vá as favas
Papai e mamãe
Não vai deixar
Você sofrer
Enquanto a mãe
Vai a lenha
Vovó vai lhe dar
Jaca com farinha
Depois tome água
Senão vai se engasgar
Menino vê se não enche
Saco
Ainda tem fato
E feijão cozidos
Vai encher o bucho
Aproveita e toma
Um gole de jenipapada
Tu sabes que
Saco vazio
Não se põe de pé.
Se a vida segue adiante
Sei que vou por qualquer caminho, até chegar seguro e salvo na arena do destino..

Por poeta e ecologista Lizaldo Vieira..


Q U E S E D A N E C U S T O d e V I D A - Lizaldo Vieira
Meu deus
Tá danado
É todo santo dia
O mesmo recado
La vem o noticiário
Com a
estória das bolsas
Do que sobe e desce no mercado
De Tóquio
Nasdaq
São paulo
É dólar que aume...

Poema livre
Pensar
 
Autor
Lizaaldo
 
Texto
Data
Leituras
68
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Namas-tibet
Publicado: 19/06/2019 18:17  Atualizado: 19/06/2019 18:17
Colaborador
Usuário desde: 17/07/2018
Localidade: Azeitão/Setúbal, Portugal
Mensagens: 877
 Feito de barro grosso
Feito de barro grosso