https://www.poetris.com/
Poemas : 

O preço da vida

 
Na vida tudo tem preço
Não tem para onde correr.
Pode mudar de endereço
Que a conta vai aparecer.

No nosso tempo de criança
Pedimos para crescer
Nutrimos falsa esperança
De que não vamos sofrer.

E para que não soframos
Entramos em nossas bolhas
Colhemos o que plantamos
Pagamos pelas escolhas.
.
Viver efemeridade
Sempre na busca do ter
É não viver de verdade
É escolher nada ser

Quem quiser ter vida boa
Faça plantios de amizade
Não viva a vida à toa
Na falsa felicidade.

Não viva falsa ilusão
Que a vida vai reprisar
Nem que ela tem um borrão
Pra quando você errar .


Ainda que tenha tropeço
Escolha se levantar
Pois a vida tem um preço
Em tudo vai lhe cobrar .

Lu


A poesia corre em meu sangue
Como a água corre no rio
Sem ela sou metade de mim
Meu nome é fruto de poesia.





 
Autor
Lucineide
 
Texto
Data
Leituras
103
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
8 pontos
4
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
boxer
Publicado: 18/11/2019 09:40  Atualizado: 18/11/2019 09:40
Colaborador
Usuário desde: 21/01/2009
Localidade:
Mensagens: 755
 Re: O preço da vida
.
E sabe o preço do vento?

Está hoje um dia de vento e eu gosto do vento
O vento tem entrado nos meus versos de todas as maneiras e
só entram nos meus versos as coisas de que gosto
O vento das árvores o vento dos cabelos
o vento do inverno o vento do verão
O vento é o melhor veículo que conheço
Só ele traz o perfume das flores só ele traz
a música que jaz à beira-mar em agosto
Mas só hoje soube o verdadeiro valor do vento
O vento actualmente vale oitenta escudos
Partiu-se o vidro grande da janela do meu quarto

(Ruy Belo)

Abraço.


Enviado por Tópico
Barbozza
Publicado: 20/11/2019 14:03  Atualizado: 20/11/2019 14:03
Colaborador
Usuário desde: 24/07/2009
Localidade: Brasil - Alagoas
Mensagens: 1436
 Re: O preço da vida
Lucineide, poema encantador, o preço que pagamos por deslizes e feridas, faz parte da jornada dos poetas, nem tudo é harmonia infinita, em um mar de rosas podemos encontra os espinhos, lindo!