https://www.poetris.com/
Poemas : 

E se...

 
E se o acaso fosse um gajo porreiro poderia celebrar missa todos os dias.
Sim, porque agora é importante cantar de galo, mas de mansinho.
Há dias parei no meu pensamento e belisquei uma ternura de vontades. É verdade, sempre que ganho um sorriso fico de boca aberta para o tempo em que havia poemas a saltar e a dizer coisas bonitas.
Talvez vá de férias nesta Páscoa, daqui para ali e dali para aqui, digo talvez porque me machucam os olhos de tanto chamar a atenção daquele artista.
É um artista encantado que me pisca os olhos e o sorriso. Estamos a ver se vemos e não vemos as riscas nem os anos que passam a correr.
É engraçado como vivo às cores e não saio do preto, de manhã ainda como o sono mas de tarde fico pendurada no cimo de textos que cada vez menos me saem das unhas.

E se... e se a felicidade estivesse num banco de jardim eu ia buscá-la em gritos para acabar com o medo de saltar paredes e beliscar beijos.



Carolina

 
Autor
Carolina
Autor
 
Texto
Data
Leituras
183
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
25 pontos
3
3
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/04/2020 21:46  Atualizado: 08/04/2020 21:46
 Re: E se...
tenho uma miga que também se chama assim! carolina...



Enviado por Tópico
fernandobarbosa
Publicado: 07/05/2020 11:28  Atualizado: 07/05/2020 11:28
Colaborador
Usuário desde: 27/08/2008
Localidade:
Mensagens: 831
 Re: E se...
A vida de "artista", nem sempre é fácil. Assim como não é fácil ser comediante, um pouco, somos todos nós. No entanto, também eu, (com saudade sim) aqui venho procurar todos os dias, algo que encha a minha caneca, supostamente vazia mas que espero encher, com vinho de boa qualidade.

Este texto é magnífico, fruto de uma imaginação fértil, só quem vive feliz, pode escrever assim. É uma ideia célebre, este rabiscar de ideias bem construídas, que nos alegram o dia, bem mais do que o café da manhã, muitas vezes, de mau gosto.

Aprecei e devorei a gosto cada palavra e confesso que me senti feliz e divertido também, da maneira como entusiasmada-mente, escreveu, para alegrar o meu dia.

Será bom, que continuemos a gosto, pela partilha de bons escritos, com a saudade de muitos escritores, que de vez em quando, aqui vêm, deixar saudades.

Felicito-a com saudade, pelos bons e velhos tempos. Foi um prazer, pela leitura, a qual muito agradeço.
Com o apreço de amigo e com sincera amizade, fernando.