https://www.poetris.com/
Textos -> Outros : 

A melancolia e a palavra melancolia

 
Tags:  linguagem    comunicação    continuo    descontínuo  
 
A melancolia, antes de mais, é uma palavra. Aqui, deixa de ser subjectiva.

A linguagem tem a virtude de objectivar o subjectivo e o defeito de não comunicar o subjectivo. A dificuldade de comunicar, em grande parte das vezes, está em que, ao fazê-lo, o subjectivo deixa de o ser, porque a linguagem não é subjectiva.

Suspeito de que um dos trunfos da comunicação científica para ter eficácia resulta do uso de uma linguagem descontínua (ou digital).
De igual modo, a eficácia que a comunicação corrente procura depende e exige o uso de uma linguagem contínua (ou analógica), que não existe, porque a linguagem é descontínua (ou digital).
Suspeito de que estas hipóteses sejam revolucionárias, como o foram os primeiros estudos e descobertas sobre a perspectiva.
A realidade observada através de um espelho com uma área de 50cm2, pode ter uma área de muitos Km2.

E podemos pintá-la (representá-la) num quadro a qualquer escala.

Uma das maravilhas da linguagem (não só da matemática) é que ela permite que percorras todos os labirintos e dês muitas voltas ao mundo e fales disso, sem saberes nada do que andas a fazer.






 
Autor
Carlos Ricardo
 
Texto
Data
Leituras
123
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
2
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 04/08/2020 10:32  Atualizado: 04/08/2020 10:32
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1914
 Re: A melancolia e a palavra melancolia
Corremos sempre o risco de filosofar assim que entramos no pensamento e ele é sobre a comunicação, e a língua, sua expressão mais básica.
Não tendo a certeza se há muita originalidade, ou um efectivo acto revolucionário, objectivares assim o tema da palavra, é interessantíssimo. Como a ela, a comunicação, é apontada pelos intelectuais de elite da actualidade (em que encontro alguns historiadores, por exemplo), como a derradeira ferramenta de evolução de supremacia perante os outros seres vivos, sobretudo os animais.

Em última análise, e em diferente escala, o uso da mesma, com qualidade, tem sido provado como vantagem entre Homens, nas mais variadas situações.
É só comparar a pena e a espada...

Duma forma pouco óbvia para a maioria, mas clara para os que procuram os sentidos da vida e a introspecção, a melancolia, apenas se torna melancolia, efectivamente, após receber esse nome.

Obrigado por mais uma reflexão.
Hajam labirintos.

Abraço