https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

Rasgo um sorriso fecundo no rosto do meu amor

 
Tags:  esperança    alma    Reverência    permanecer    acredita.  
 



Sinto o véu da minha alma destapar-se, como quem abre as janelas enigmáticas do Ser
e estendesse as mãos à vida em reverência na tua direção.

Abraço em quietude este lugar único onde gosto de permanecer, são estes passos lentos e determinados que me conduzem ao meu rio interior.

Bebo-me devagarinho, como quem bebe da água fresca purificada do rio da vida, em celebração.

Trago as planícies verdejantes pintadas por dentro, como que a pincelar o verde dentro das montanhas altaneiras do meu céu, olho para baixo e fico silente, a escutar o burburinho dos animais, e a contemplar a tarde num sussurro doce a cantar alegremente uma melodia que ecoa no vale...

O vento toca-me de mansinho numa coreografia lenta, para acordar a esperança, vertendo em mim o cálice da confiança, deito a minha cabeça na melodia dos meus sorrisos e sinto a suavidade percorrer-me o ser...

Fecho os olhos para respirar a magia de Ser e sou a alegria dentro da esperança, como quem verte a fé e sopra o vento do infortúnio para longe, como quem acredita e sente o pulsar da vida movido pela certeza do caminho.

Inauguro os sorrisos, ateio as vontades e solto as mãos como quem se desprende, como quem se liberta e se esquece do pranto dos dias tristes.

Ceifo as dores, amedronto as investidas dos maus presságios e seguro nas mãos em concha as bem aventuranças para fecundar sorrisos no rosto do meu amor.

Alice Vaz de Barros


Alice Vaz De Barros

 
Autor
AliceVazDeBarros
 
Texto
Data
Leituras
224
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Alpha
Publicado: 02/09/2023 21:06  Atualizado: 02/09/2023 21:06
Membro de honra
Usuário desde: 14/04/2015
Localidade:
Mensagens: 1860
 Re: Rasgo um sorriso fecundo no rosto do meu amor
Deixei-me respirar na beleza da escrita
Voei em seu pulsar onde o amor é rei
Num bem-querer de quietude infinita
Que adornado em belas cores pintei!

Poema maior que o infinito, que se deixa escorrer em palavras gravadas no mais belo que a vida tem, o amor!