Poemas : 

as cores Proibidas

 
a areia picava as costas
e as mãos castanhas de a tocar,
mexer, rebolar, apertar
estavam já doentes,
da água de sal,
na língua dos dedos do sol da tarde,
quente e amarelo

os dois olhavam-se, deitados na cama de grãos que picava
não ventava, não ruidava, nada bulia
apenas as íris abertas de um lado
e do outro sorriam as mãos castanhas, doentes
dela tornaram doentes as dele,
e as mãos dele que acastanharam dela
o corpo nu
doente de quente do amarelo do sol

abraçaram-se, passando
de castanho a branco, amarelo, azul, verde, laranja de comer

depois um beijo longo e comprido, comprimido
por ele num corpo dela, dele, quase coberto, encoberto, a coberto dele
que assim lhe pesava a ela que espelhava ainda
as cores naquela pele dura e macia,
madura na zona da bacia

ela, deitada e agarrou-se aos cabelos dele para não cair
puxou-os a si usando a força do mar e do sal
das dores do grão
da sofreguidão de areia emergente

mas ele levantou-se
direito, à frente dela amarela e um ângulo reto
eixos de ordenadas e abcissas, x ou y? perfeito

assim, em silêncio
assim
as íris agora a descolar

e quando o sol quase
se despediu, ele
virou-se de costas e de frente
para o mar
e foi, sem olhar para trás, ela
levantou-se depois e de frente
às cores
estacou enquanto ele andou
andou
até apanhar o sol

e ser mais um raio aparente quente

que a mantinha doente



e sou do sítio das borboletas monarcas azuis

 
Autor
AliceMaya
Autor
 
Texto
Data
Leituras
328
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
55 pontos
13
5
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HorrorisCausa
Publicado: 26/02/2024 13:12  Atualizado: 26/02/2024 13:12
Administrador
Usuário desde: 15/02/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 3585
 Re: as cores Proibidas/ AliceMaya
olá Alice

dessas tuas cores proibidas, gostei particularmente do " laranja de comer", apeteceu.me comer também e, comi. comi o teu poema, a sensualidade , o romantismo , o drama atrativo do proibido que trouxe vazio e até fiquei doente, aparentemente, dizem os entendidos, por estar a ficar viciada na tua poesia. dizem chamar.se "fictofilia"

beijo

atenciosamente
HC


Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 26/02/2024 22:14  Atualizado: 26/02/2024 22:15
Usuário desde: 07/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 16073
 Re: as cores Proibidas
Levou o leitor contigo nessa aventura colorida, lírica, sensual e inusitada. Minhas mãos marrons selaram meus lábios e meus olhos se encheram com sua preciosa coloração. Beijo!


Enviado por Tópico
Paulo-Galvão
Publicado: 27/02/2024 11:14  Atualizado: 27/02/2024 11:14
Usuário desde: 12/12/2011
Localidade: Lagos
Mensagens: 1176
 Re: as cores Proibidas
Olá Alice.

De novo um texto bom de um lirismo cromático, intensamente feminino onírico. Gostei do prisma de cores e das rimas dentro d versos.
Uma "Doença" inebriante!

Apanhar banhos de sol geralmente dá asas à imaginação!

Abraço

Paulo


Enviado por Tópico
Alpha
Publicado: 27/02/2024 12:25  Atualizado: 27/02/2024 12:25
Membro de honra
Usuário desde: 14/04/2015
Localidade:
Mensagens: 1898
 Re: as cores Proibidas
Olá, AliceMaya

Tudo que é proibido tem sabor especial
Nos faz transportar para outros horizontes
Podendo ser usado como uma credencial
E assim beber nas bicas, de belas fontes!

Nas entrelinhas do mundo, entre o sussurro das folhas, e o murmúrio do vento, existem cores que desafiam a compreensão. São cores proibidas, aquelas que habitam os recantos mais profundos da imaginação, onde a mente teme adentrar. São tons que não se encontram na paleta convencional, cores que não podem ser nomeadas, apenas sentidas. E dos pensamentos, essas cores dançam como sombras fugidias, provocando fascínio e temor.

Em tempos idos, as cores proibidas eram envoltas em mistério e superstição. Diziam que quem ousasse contemplá-las arriscava-se a perder-se para sempre nas profundezas do desconhecido, e ser consumidos pela intensidade de suas, nuances. No entanto, há os que não resistem á tentação de desvendar esses segredos guardados. São os exploradores da alma, com o sal que tudo tempera incluindo o beijo longo comprido, e comprimido!

Ao começar com o aparecer (estavam já doentes) e ao acabar um raio quente que a (mantinha doente) neste hiato entre o princípio e o fim se desenrola o poema que nos faz dissertar no tempo, e espaço!

Cordiais saudações



Enviado por Tópico
Aline Lima
Publicado: 27/02/2024 15:41  Atualizado: 27/02/2024 15:41
Usuário desde: 02/04/2012
Localidade: Brasília- Brasil
Mensagens: 591
 Re: as cores Proibidas para AliceMaya
Querida AliceMaya,

Fiquei profundamente tocada pelo seu poema. A linguagem poética e as imagens vívidas criaram uma experiência imersiva que me transportou para a beira-mar com os personagens. (O mar, mais uma vez, me arrebatando.)
A descrição do toque das mãos, do calor do sol e das cores vibrantes da pele me fez sentir a intensidade da paixão e da sensualidade, transportando-me para a atmosfera íntima e quente.
A escolha das cores, em particular, foi muito significativa, e acredito que cada uma delas representa um aspecto diferente da relação entre os personagens.
A melancolia presente no poema também me emocionou, especialmente na despedida do sol e na solidão da personagem feminina no final. A sensação de perda é real e palpável, mas também há uma beleza melancólica muito delicada.
Curiosidade: Recentemente tive a oportunidade de conhecer a música de David Sylvian e me encantei com a voz dele. Não consigo parar de ouvir!
"Forbidden Colours" é simplesmente perfeita.
Acredito que a sua escolha para acompanhar o poema foi extremamente feliz e contribuiu para criar uma experiência ainda mais rica e profunda.
Adorei! Sua poesia me inspira.
Beijos.
Aline.


Enviado por Tópico
MarySSantos
Publicado: 29/02/2024 15:54  Atualizado: 29/02/2024 15:54
Usuário desde: 06/06/2012
Localidade: Macapá/Amapá - Brasil
Mensagens: 5735
 Re: as cores Proibidas
Muito bom seu poema, Alice. Favorito.

Envolto em sensualidade, mas há a percepção, ou assim me alcançou o poema, que apesar dos desconfortos e do que as mãos já tocaram ou fizeram (algo ruim posso assim dizer), ainda podem dar afeto, carinho, ainda existe sentimentos, mesmo que na maioria das vezes é preciso esconder o colorido do que dá prazer.

bjo

Mary