Poemas : 

em trânsito

 
verdade seja dita
a marca das nossas vidas
está nesse instante
de paragem sobre o muro
frente às marés
a supor que ainda é possível
o regresso a casa
a fazer-te rir
como uma chuva de luz
antes de a apagarmos

este corpo já foi um só
mas hoje é ambulância
muda à beira-tarde
trocando alarmes
por mãos cheias
de quase nadas
de volta à melancolia
dos beijos tímidos
e dos suspiros
de enlace

e dentro de ti
investiga-se agora o sangue
do curso de vida
pisando botões de murta
o saciar de quem
colhe o dia
saboreando-o
como a um pão recém-cozido
que aquece a boca
e as mãos

sabemo-nos? sim
completamente
mas em trânsito

Open in new window

 
Autor
Benjamin Pó
 
Texto
Data
Leituras
343
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
40 pontos
8
4
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 06/05/2024 10:31  Atualizado: 06/05/2024 10:33
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 2037
 Re: em trânsito
Todos somos pó.

Apenas para afirmar que a mudança no nome de perfil não passou em claro.
Enriqueceu-o, dando nome de família, alguma composição também.
Por outro lado, marca-o a simplicidade, apenas duas letras, e a particularidade, a substância essencial, ou cinza.

Curioso.
Mas previsível, vindo de quem vem.

Em transição estamos sempre, embora seja cómodo acharmos que a estabilidade e o parado seja real e visível.
Talvez por isso, goste tanto dos verbos no gerúndio, que algures li ser o presente perfeito.

No que diz respeito ao corpo do texto, ao poema per si, acho a segunda estrofe magnífica, uma metáfora original que tem uma fluidez de normalidade invulgar.

Claro que favoritei. Como quase todos os teus.

Abraço
Obrigado pela leitura


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 07/05/2024 16:48  Atualizado: 07/05/2024 16:48
 Re: em trânsito p/ Benjamin Pó
.
.
Olá, Benjamin. Agora, Benjamin Pó.

Permita-me só dizer que dizendo agora o seu nome me parece estar a dizer, na verdade: "beija-me em pó". Ambos se leem praticamente do mesmo modo. Pergunto-me se terá sido propositado.

Em relação ao poema, todo ele é extraordinário do início ao fim. É difícil o exercício de o comentar porque seria imenso.
Além disso, julgo que não me atreveria a tanto.

Poetas nascem ao longe, mas conhecem-se de perto.

este corpo já foi um só
mas hoje é ambulância
muda à beira-tarde
trocando alarmes
por mãos cheias
de quase nadas


Parabéns pela escolha da imagem. É linda! Parece de um filme japonês.

Obrigada.

Abraço,
Maya.


Enviado por Tópico
HorrorisCausa
Publicado: 08/05/2024 15:16  Atualizado: 08/05/2024 15:16
Administrador
Usuário desde: 15/02/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 3674
 Re: em trânsito / benjamin Pó
olá benjamin Pó

sem entrar o que pode representar " Pó" em outras culturas, nomeadamente orientais. para mim , simples, " do pó nasces e em pó ..."
"pronto" não vou usar esta marca conhecida de limpa pó, nem lembrar o "chinesinho limpó pó" ( saudoso Badaró), verdade seja dita, o pó é para mim como as purpurinas, por mais que se queira ver.nos livres...mudam de lugar. aparecem sempre nos lugares mais estranhos. aqui, neste texto, pareceu.me ver nas virilhas entranhas da alma, mas nunca se sabe, estão sempre em trânsito.

atenciosamente
HC


Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 16/05/2024 23:16  Atualizado: 16/05/2024 23:16
Membro de honra
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 18319
 Re: em trânsito
Um relicário. Uma oração que deveria parar nosso trânsito, por fora e dentro. Perfeito. Bjs