https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Alegria : 

A santo António e a S. João

 
Onde paras, Santo António?
Alguém se lembrou de ti?
Foste o meu inspirador
Desde o dia em que nasci.

Muitos até podem rir,
Pensando com seus botões:
Poeta de meia-leca
A pedir cinco tostões.

Foi assim que me ensinaram,
E aprendi a versejar,
De todos o mais sincero
É o poeta popular.

Não precisa de arremessos,
Nem construções bizantinas,
Como é bela a poesia
Só com coisas pequeninas.

Até o amor fica simples,
Com um santo popular,
Qualquer um goza e desfruta,
Mas no fim tem que casar.

Anda daí, meu santinho,
Vamos lançar um balão,
Vamos fazer um concurso
De quadras de S. João.

 
Autor
maduro
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1035
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.