https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Dedicatória : 

Perdoa!

 

Perdoa!
Sei que não consegues ficar
Indiferente à minha indiferença
Talvez porque saibas
Que no fundo não é displicência o que sinto
Porque me lembro de ti
Porque quero que sejas feliz
Porque te pressinto o sofrimento

Fico dispersa é certo
Distraída com a vida galopante que me atordoa
Mas penso em ti e quero-te bem
E é tão fácil carregar numa tecla do telemóvel
Ouvir a tua voz e escutares a minha apaziguando-te
Como se me tranquilizasse a mim também
Como se te aliviasse os medos com os meus temores!

Mania da telepatia
Como se os amigos me pudessem captar
O que me vai no pensamento
E depois admiro-me quando gritas o meu nome
Num pedido de socorro
Quando me dizes que estou fria, indiferente
Que não te ouço nem te digo palavras de refrigério
Para alívio dos teus desgostos

Escuto-te, leio-te
Tens razão!
Ando longe, estou longe
Bloqueio quando devia acarinhar-te
Fico hirta quando devia abraçar-te!
Silencio quando deverias ouvir a minha voz!
Mas talvez esteja arredada de mim
Quero perder-me de forma egoísta
Neste grito de liberdade que sufoquei em décadas
Mas juro-te que estarei sempre aqui para te auscultar

Também te tenho no coração em afecto puro
E não são os desgostos da vida
Que me impedem de te pensar
Antevejo-te como as flores
Quando não és regada feneces de tristeza
Posso também ser simples flor,
Mas quando se esquecem de me regar
Simplesmente transformo-me em cacto solitário
Que aprende na evolução das espécies
A adaptar-se ao ambiente árido
Mas mesmo a mais bela flor
Pode ser amiga de um disforme cacto do deserto!
É isso que sou!
Um cacto do deserto que teima em manter os espinhos
Para poder sobreviver também ao desapego
Dos seres humanos que um dia ousou amar!
 
Autor
AnaMariaOliveira
 
Texto
Data
Leituras
544
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 29/07/2008 20:49  Atualizado: 29/07/2008 20:49
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: Perdoa!
A pessoa a quem dedicas este poema, Ana, certamente que conseguiu captar nas lágrimas que (com toda a certeza verteu) a eloquência das tuas palavras.
A pessoa com quem falas, de coração apertado, certamente que te ouviu, e estará a abraçar-te em pensamento com as asas húmidas da chuva que por vezes cai fora do tempo.
É lindo o teu poema!
Beijos.
Vóny Ferreira

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/07/2008 11:13  Atualizado: 30/07/2008 11:13
 Re: Perdoa!
Lindo poema Ana

Ficamos arredados de nós, sempre que for necessário
Para quê alterar o estado de coisas?
Temos todos direito a viver em liberdade
Respeitando o silêncio de cada um estamos também a respeitar o nosso próprio silêncio

Um pedido de perdão que muito me agradou. Perante ele, tudo se resolve. Enerigia circula e o pensamento voa como o vento.

Dolores