https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

POEMA AMARELO

 
Serei por estes dias que nascem
Pó da terra ao vento
Um pouco de nada
Um gostoso lamento
Serei por estas noites que caem
Luar de relento vivo
Mistério do escuro
Folha de Outono
Amarelo cativo
Serei por estas tardes frias
Gelo a derreter de calor
Pingo de chuva no teu nariz
A sofrer a minha dor
A ler o que o futuro diz
Serei por estas manhãs de alvorada
O romper da luz
E o terno entardecer
Da tua madrugada
 
Autor
Raul Cordeiro
 
Texto
Data
Leituras
3139
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
5
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
MariaSousa
Publicado: 09/11/2008 19:04  Atualizado: 09/11/2008 19:04
Membro de honra
Usuário desde: 03/03/2007
Localidade: Lisboa
Mensagens: 4096
 Re: POEMA AMARELO
Gostei muito, Raúl.

Um poema triste e belo.

Bjs



Enviado por Tópico
Maria Verde
Publicado: 09/11/2008 19:35  Atualizado: 09/11/2008 19:35
Colaborador
Usuário desde: 20/01/2008
Localidade: SP
Mensagens: 3544
 Re: POEMA AMARELO
serás aquele caminhante...
em larga e suave estrada
que dia-após-dia
segue sua errante jornada
mesclando-se aos elementos
para enaltecer a amada.
lindo!!!!

beijo

Enviado por Tópico
LuisaMargaridaRap
Publicado: 09/11/2008 21:08  Atualizado: 09/11/2008 21:08
Colaborador
Usuário desde: 19/08/2008
Localidade: Portalegre - Alentejo
Mensagens: 1512
 Re: POEMA AMARELO
Raul, teu poema é triste mas dentro dessa tristeza disperta um belo poema de amor,


beijinhos

Luisa Raposo