https://www.poetris.com/

 
(1) 2 3 4 »
Offline
ArysGaiovani
O chamado
Cupido de bronze maciço no tope do mausoléu, ensaiava gestos discordando com veemência, da ser...
Enviado por ArysGaiovani
em 30/07/2016 23:53:59
Offline
ArysGaiovani
Lágrimas de sangue e de dor
Ranger de dentes afiados soam malignos, o zumbido rompendo o silêncio celestial, algures exsurge...
Enviado por ArysGaiovani
em 02/06/2016 15:12:29
Offline
ArysGaiovani
O páreo inclemente dos cingéis amaldiçoados
Sob o clarão da lua banhando as solitárias estradas, estremece o chão sob o bater das patas tã...
Enviado por ArysGaiovani
em 16/04/2016 19:52:03
Offline
ArysGaiovani
Balada da consolação na boca do inferno
Bem aventurados os que a existência têm destinado, ao largo das nímias seitas eivadas do enoda...
Enviado por ArysGaiovani
em 09/04/2016 19:09:18
Offline
ArysGaiovani
O anel de rubis que Satã ofertou
Rogo que tenham apenas palavras amenas, quaisquer orações seriam demais infrutíferas; ora que se...
Enviado por ArysGaiovani
em 08/04/2016 19:36:44
Offline
ArysGaiovani
A imutável sina das almas
Nos umbrais terrestres onde a cruz beira o cipreste, lugar da indiscutível mansuetude de áspero ...
Enviado por ArysGaiovani
em 01/04/2016 23:06:01
Offline
ArysGaiovani
E o mundo estará aos teus pés
Deixes que te guies a negra estrela nômade de Satã quando a tempestade de ódio se abater feroz,...
Enviado por ArysGaiovani
em 24/03/2016 08:50:11
Offline
ArysGaiovani
Com o Maldito e funestos anelos
Quando rompida a atadura do sustentáculo, piaram lúgubres corujas em tom messiânico; pousadas ...
Enviado por ArysGaiovani
em 22/03/2016 15:13:20
Offline
ArysGaiovani
Pobres humanos perdidos nos crepúsculos
Qual mortal que temeroso já não se viu estremunhado, contemplando o céu da meia noite desde os ag...
Enviado por ArysGaiovani
em 19/03/2016 18:36:49
Offline
ArysGaiovani
Outro anjo de olhos enfumaçados
Quando outro dos anjos de olhos enfumaçados morbidamente vier ali entre demais entes alados - nã...
Enviado por ArysGaiovani
em 16/03/2016 15:23:07
Offline
ArysGaiovani
Valas comuns do esquecimento
Maldita forja dos grilhões que acautelam as almas, mantida pelas chamas do ar vertido dos precipí...
Enviado por ArysGaiovani
em 19/01/2016 21:44:17
Offline
ArysGaiovani
Doce olor da seiva subitânea
Não podem imaginar, nunca se lhes estará na retina, qual pavor instalado após os crepúsculos n...
Enviado por ArysGaiovani
em 12/12/2015 16:12:20
Offline
ArysGaiovani
Acendre mortal, a alma antes da morte fatal
Malditos os que vivem na luz, sob o sol sem pernoite, não se refugiando nas entranhas dos roche...
Enviado por ArysGaiovani
em 07/12/2015 08:15:26
Offline
ArysGaiovani
Suspiram os perenais antes de saírem das sepulturas
Quando claudicando por charnecas e pântanos excurso trago nítidas na retina imagens apostas às da...
Enviado por ArysGaiovani
em 03/12/2015 20:34:42
Offline
ArysGaiovani
Terror dos povos que habitam as bordas da terra
Ah! Embrenho-me nas sombras, quedo-me ali quase invisível no espaço frio, distantes dos mortais ...
Enviado por ArysGaiovani
em 24/11/2014 22:02:45
Offline
ArysGaiovani
Depois da noite amaldiçoada
Os últimos raios de um sol frio, quase aniquilado, vieram ao alpendre me encontrar ainda duvid...
Enviado por ArysGaiovani
em 08/11/2014 23:26:22
Offline
ArysGaiovani
Diga "sim" quando a Morte pedir a sua mão[1]
Teu espírito deve conhecer outra ventura que à da vida num incansável desapego. Grasso sozinha...
Enviado por ArysGaiovani
em 07/06/2014 03:21:31
Offline
ArysGaiovani
Queria pode dizer adeus...
Como tudo, sempre acontece com o espessar da bruma noturna, infelizmente sofro, tenho toda alma...
Enviado por ArysGaiovani
em 28/04/2014 18:21:21
Offline
ArysGaiovani
Ser imortal temente do dia e da luz
Tenho medo da luz, apavora-me a luminosidade do dia, encerrado em corpo morto, a noite alegra ...
Enviado por ArysGaiovani
em 20/04/2014 10:15:07
Offline
ArysGaiovani
Para trazer um amor distante
Sem sossego ficará, quando acordar, sair para o estudo, para passear, seu corpo há de tremer q...
Enviado por ArysGaiovani
em 29/03/2014 17:53:34
(1) 2 3 4 »