https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de entregasesabores

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de entregasesabores

chove

 
Nos momentos de chuva
aqui estou
soprando amarras de nuvens cinzentas
na certeza que o sol espreita
na vontade de o ver.
Amo-te...
r

Somos chuva que inunda os campos
que molha os jardins
Chuva de esperança, de paz...
l
 
chove

vontades

 
vontades
 
imagem: internet
 
vontades

Beleza

 
Beleza
 
Beleza
é um perfume liberto.
Um momento caído do tempo.
Uma onda azul, que te afaga o sonho.
Um vento que sopra
distraido por ti.

Beleza
é a alma que se dá
repartindo pedaços de luz
no estio mastigado
de olhares esquecidos.

Beleza
é partilha.

Beleza
és.
r

Beleza, aromas no ar.
Nascida de pulsante emoção
O perfume que evapora
na imaginação
l
 
Beleza

equilíbrio

 
Somos porto de chegada,
de almas e corpos,
que se buscam.
Ponte que liga
a vida terrena
à eternidade do céu...
l
É na comunhão de corpo e alma,
que encontramos o equilibrio.
Somos a partida
e a chegada.
Somos vontade
sobre os cinzentos mornos.
Somos vida.
r
 
equilíbrio

clarão

 
clarão
 
Tenho luz, cor, vida
alento, alegria
sede, melancolia
renovos de força sadia
momentos sem razão.
Dou-me sem barreiras...
eu, sem remissão.
r

Somos uma mistura de cores
expressão viva de emoções
que nos fortificam,nessa condição humana.
Iguais e ao mesmo tempo
únicos e diferentes.
A união que se solidifica
na diferença que completa e não separa.
Um dia somos azul e luz
outro,cinza e sombra.
Sem remissão
no caminho árduo da perfeição...
l

A complexidade da luz branca
é a decomposição das várias cores
e tons que a formam.
Vejo o mar na minha frente.
Está cinza chumbo.
Vejo embarcações, que o cruzam.
Para mim, o mar é cinza
para eles, vermelho vida.

O que é a cor?
Senão o filtro com que vemos a luz ?
É a vida que nos dá o filtro ?
Decerto que parte lhe pertence.
Contudo, o livre arbítrio de o polir e renovar
é uma dádiva inalienável que dispomos.
Para mim, é vermelho vivo
em tons de azul sereno
mesclado de cinza.
r

Água é a tradução fiel de vida
azul de serenidade
e sal de condimento adequado.
Ondas que serpenteiam ao sabor do vento,
ora brisa suave, ora recurvo.
Completo na sua beleza natural.
Magnitude que nos torna tão humanos
e ao mesmo tempo, insuperáveis.
Se puderes ver, olha
encontrarás respostas
e um beijo na forma habitual
de quem ama, a ti...
l
 
clarão

laças

 
laças
 
Beijos que se completam com os teus, quentes e molhados, prenunciando viagens de dedos que se tocam...
r

Se metade de mim é intensidade e corpo, a outra, é serenidade e alma...
l

Somos corpo e alma. Uns dias mais corpo, outros, mais alma. O equilibrio é a força que nos mantém. De nada serve um corpo sem alma. Hoje sou alma, em cura suave. Vejo-te na minha frente...sinto o teu rosto na palma da minha mão. Beijo-te. Deixemos as almas voarem...em busca do equilibrio necessário.
r

Por vezes, apenas no silêncio do corpo, podemos deixar a alma voar desbragadamente. Deixar de ser para que outra seja...sem a sua supressão.
l

Os dois estão interligados e livremente existem numa alternância salutar. Permitir a fluidez de cada um no tempo certo, é o encontrar do equilibrio. Voa em ti...
r

foto:guilherme santos
 
laças

desata, a asa livre

 
desata, a asa livre
 
Afastam-se as pedras, à medida que avançamos.
A aspereza do caminho caleja os pés nus.
És pássaro livre para voar com asas próprias.
r

Gosto da divindade
faz-me olhar o céu
mas os pés desnudos, no chão
mostram-me a realidade.
Quem nasceu para voar
não consegue engatinhar
ou voar em asas alheias.
l

As tuas estão mesmo aí...
olha para elas...
a pedirem que as encontres
r

Faz tanto tempo e não sei onde ficaram. Transparentes, invisíveis...
l

Asas transparentes, asa leves
indicadas para quem vai voar
depois de ganhar balanço sobre pedras e buracos.
r

Voluteiam asas imaginárias
apoiadas num sentir nosso...
l
 
desata, a asa livre

(Pre) Ver

 
(Pre) Ver
 
O meu sono foi um deslize nocturno
interrompido pela intrépidez do apelo à realidade
que se amaina e sorri ao teu chamamento...
r

Na memória recordo uma viagem de eléctrico...
e nesse momento tu estavas
l

tecendo sonhos ansiosos.
Podíamos nos ter encontrado nesse tempo.
Um cruzar de olhos, numa paragem de eléctrico.
r

Tão próximos e nos encontramos quando distantes com sonhos ancorados
na madurez de uma cultura de vida...
l

Sonhos são estradas
percorridas ao encontro da realidade
que se projecta.
A vida é um sonho, feito e refeito.
Nada acontece por acaso.
O presente, é uma casa inacabada,
feita de pedras e paus, da nossa ilha.
E cada peça que me é dada
tem um objectivo.
Serão acasos ?
Não.
A liberdade de as moldar e pintar, é nos dada, para que cada vida tenha um sabor único.
r

A vida é um sonho, escolhemos o nosso.
Fio condutor que nos conduz
no carrear da montanha rumo à felicidade. Saborear é o que nos resta.
l

Saborear cada momento é a arte de desfrutar
as metas dinâmicas.
r
 
(Pre) Ver

exala

 
Beijo o beijo da tua boca,
desfrutando do instante preciso.
Na ampulheta, a areia retem-se,
sem pressa de cair...
l

Que seja o beijo, suave e doce,
a ponte que nos una.
Que seja o entrelaçar de mãos,
o calor que nos sustém .
Que sejam as nossas almas,
numa confluência intemporal, que encarne esse beijo, entregue com desejo.
r

A árvore começou a dar os seus frutos
e as vides em flor libertam um aroma
que entorpece os sentidos...
l

Os frutos e aromas que libertas,
são o resultado da sólida
e excelente árvore que és.
Beijo no teu aroma...
r

Aromas que não nascem ou subsistem por sí só,
numa perspectiva solitária.
Na vida somos tudo o que somos e não somos,
num perpétuo mover de almas
e corpos em comunhão.
Nada é, por si mesmo, sem uma causa e um efeito. Tu és a causa que beijo no seu todo.
Aromatizo-me.
l

Se um beijo pudesse exprimir,
quanto sente, quem o dá,
gritaria bem alto aos ventos bravios,
a força do amor.
Nesse doce aroma,
sopro: Amo-te.
r

Vento que me desbrava na sua força natural, levando-me nas suas asas leves e coloridas.
No ar... fica uma fragrância
que se imbui nos sentidos.
Embriago-me...
l

Sentidos que brincam com os desejos,
contidos e submissos à razão,
contudo livres no mar ondulante
de pensamentos paralelos.
r
 
exala

palavras de r para l

 
Amo-te sem saber porque, nem como. Amo-te porque és como és. Amo-te pela liberdade que emanas. Pela paz que és.

Viajo
no teu oceano doce. Em vagas de rubro azul, desfrutamos cada lapso de tempo. Vamos onde outros sonham,

que
após um tempo de cumplicidade, pele com pele, o tempo está sem tempero e as imagens não param de desafiar o ondear mais além.

É
o equilíbrio que se busca, que passa pelo amenizar das divergências, através de uma confluência de almas, presas pelo sentir comum.

A felicidade
é uma escada feita de momentos felizes. Pé ante pé, subimos, construindo mais uma com o nosso viver.

As palavras
falam quando a alma está cheia.
Sem sonhos
o que sou ? O que somos ? Pelo sonho viajo e alimento cada acordar. Pelo sonho contagiante, descobrimos novas fronteiras e a alegria da meta no horizonte. Um sonho tinha. Encontrar-te. Outro tenho. Partilhar nossos sonhos.
 
palavras de r para l

manhã serena

 
Nesta manhã serena
azul como o mar
liberta essa alma livre
e voa.
Voa sem parar...
r

Não existe machado que corte
a raiz do pensamento.
Sacudir o presente implica esquecer o passado
prosseguindo...em asas consistentes.
l

O fresco da tarde trouxe-me saudades
dos passeios que demos de mãos dadas.
r

A saudade está sempre em cada pormenor
o que sobressai
são desde as mãos dadas dos amantes
ao olhar trocado no acaso
de uma qualquer circunstância.
l
Numa troca de olhares
dançam as palavras
em cores por inventar.
Ternura que se troca
em carinhos suspensos
presos pelo ar.
É amor e emoção
é tudo o que não é simples dizer
desenhando-se na razão
outra forma de ser.
E quando os olhos se afastam,
porque a vida assim o diz
nasce longa a saudade
de uma tarde
simples e feliz.
r

Pressinto uma outra forma de navegar
por trás das palavras
ancorada nas emoções e sensações.
l
 
manhã serena

leveza de amar

 
Na insustentável leveza
que és
vive uma razão
de te amar.
r

Na insustentável razão
de te amar
vive uma deliciosa
sensação
de leveza.
l

Na serenidade
flutuante e segura
és continuidade
que perdura
nos passeios vendados
nas orlas da razão.
Soltas-te
em barcas de ternura
prenhes de tesitura
expectantes de união.
r
 
leveza de amar

um

 
Beijo os teus beijos
molhados por gotas de infinito
vai na segurança de sentires
que nos aprisionam
e que regresses na rapidez da liberdade
das nossas almas gêmeas.
l

Cada partida, é a certeza,
de quanto a palavra saudade, existe
O amor que se semeia
na entrega despudorada de almas e corpos
é profundo e seguro
como a árvore, de sólidas raízes
que o temporal não tomba.

Como palavras que esperam as letras
assim, sinto a tua falta
mas sei que partilhamos cada instante
como quem beija, em doces gotas de mel,
quando a distância morde
e a noite passeia por nós.
Amor é um caminho,
feito de mão dada.
Toma-a.
r

Na distância e na saudade
nos seguramos na rede do nosso sentir.
Tua, de corpo e alma.
Toma-os.
l
 
um

fogo e água

 
Num manancial
de sensações contraditórias
confluindo para um culminar
que se pressente desatinado
Lados opostos
Fogo e Água
Coexistem.
l

Água de imensidão
água ardente
serena ou revolta
entre fogos se quer avivar
São fogos que teimam
em nunca se apagar.
r
 
fogo e água

vermelho

 
vermelho
 
 
vermelho

Sabor

 
Ao sol ouvindo o murmúrio das ondas.
Chamam por ti...
r

À sombra, ouvindo o bater de corações em uníssono.
Deambulo. Acertando tempos nas entregas e sabores, por mensagens trocadas,
antes de olhares se acasalarem.
Onde estávamos...onde estamos.
l

Assim seria, estava escrito.
Partimos na procura da intensidade do sentir, ultrapassando barreiras.
Cada dia é uma nova página escrita
com mão própria.
Tudo o que temos são vontades por desatar.
r

Vontades, adormecidas, que esperavam um instante do tempo infinito,
nesse finito que somos por definir...
l

Definir o que somos.
O tempo dará essa resposta.
É uma apaixonante e sábia procura
que se manterá nos espíritos desacomodados.
A vida é mudança em movimento,
tecendo uma lógica que se alicerça na sua própria história e emoção.
Amar é um grito de liberdade,
que ainda sabemos dar.
r

Perdemo-nos nessa liberdade que nos leva um para o outro.
Sem retorno.
l
 
Sabor

saudade em ti

 
saudade em ti
 
Nos recantos nascem sentires.
Suavemente se espraiam
como vento cálido.
Em ti...
r

Arejo esses recantos de sentires
com memórias vivas
em olhares entrelaçados
e palavras pronunciadas
num tempo sem tempo
numa falta que fica ali
sempre presente.
Saudade...
l
 
saudade em ti

conta gotas

 
A alma é o que move o corpo.
O equilibrio que se procura
do todo feito de partes.
Amo e desejo, amando-te...
r

Quando o corpo carrega a alma
essa desvanece-se através dele,
assumindo vida própria.
E a alma, desata, impele, desatina,
objectivando desejos incontidos.
l

Desejos fundados num sentir seguro
e que se libertam na certeza de palavras cruzadas, mergulhantes, penetrantes...
r

A água esvai-se, gota a gota, lentamente,
sobre corpos entrelaçados num desejo comum. Mergulhados.
l

Por vezes pele com pele,
por vezes trocando partes,
por vezes um entrelaçado no tempo
quando o espaço é farto.
E sempre, sempre, sentir a falta de quem se ama. Beijo em ti, na tua plenitude...
r

Perdida na lentidão das palavras cruzadas
que ficam aquém das sensações,
o prazer de estar
sustém a impaciência dos dedos
que se obrigam a deslizar
numa outra cadência.
l

Gota a gota, se faz o rio
que transborda e forma o mar...
gotas do mesmo mar, somos.
r
 
conta gotas

palavras de l para r

 
Existem presenças que estão para além do físico, numa permanência constante. Por um lado uma realidade que nos sufoca e por outro um doce sentir. Se pudesse haver um equilíbrio. Assolam-me imagens.

E,

as imagens, são o reflexo dos desejos que emanam dos pensamentos que vagueiam livremente. O que esta para além de, é o compromisso dos que ousam e que muitas vezes barrados pelas divergências, persistem. Ama-se nos beijos e carícias, mesmo assim. Qual é o caminho do céu ?

"O velho segredou o seguinte conselho: quando morresse, para encontrar o caminho do céu, o miúdo devia escolher só os carreirinhos. Os grandes caminhos nunca lhe levariam la. Procurasse, sim, os caminhinhos, trilhozitos entre as nuvens, feitos por pé de pouca gente".

Entretanto,
as palavras falam e a alma responde, num diálogo incessante. Amo-te.

Caminhemos então, na falta de acaso das nossas almas em confluência. Em que,
o sonho pode ser teu, mas que pelo prazer e alegria que te conferem, passa a ser meu também. Partilhas e cumplicidades.
A minha vontade é imensa, nos sonhos arrumados na memória. A medida é a possível na realidade de cada um. A medida terá que ser a correspondente.

Mas
a vontade continua a ser gigantesca.
 
palavras de l para r