https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de caminhos-vidas

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de caminhos-vidas

Tentando ser apenas um...

 
Tentando ser eu,fui egoísta,fui ingênuo,
sem graça e engraçado,fui ignorante,fui...
Deixarei para que completem para mim,
e de mim serei apenas o que sou,o que não;
deixarei para que sejam os teus pensamentos.
Tu não me conhece mas tenta criar-me,não faça,
pois perde seu tempo,por que sou:
O medo que não tenho ao voar em um cavalo
alado feito de aço,

sou as páginas da minha alma,

sou a timidez do meu corpo,

sou a beleza das minhas palavras certas,

sou o sorriso que venero,

sou desumano por não ser humano,

sou os pensares embaralhados nas teiasdas aranhas,

sou o som que corre em minhas veias,

sou o amor que vivo intensamente,

sou a perfeição que não vejo quando erro,

sou um...
 
Tentando ser apenas um...

Não vejo,não ouço,não falo...

 
Vejo mas não toco...
Ouço mas não toco...
Falo mas não toca...

Vejo um mundo mais real que o meu medo de ser melhor para ser feliz,escravidão acrílica que envolve o mundo,criado para sentir-se só,falso,
sem alma,como um desumano animal irracional.

Ouço minha alma cantada por poetas corajosos
que ousaram ilustrar sentimentos que chocam,
mas trazem alívio quando se identificam com
o covarde,que possui vários acordes,letras,
mas teme mostrar sua melodia.

Falo aos surdos palavras que somente eles entendem,
minha voz passa nos tímpanos imperceptível como
ar aos olhos,posso gritar,cantar,mas mudo estou de medo.

Não toco...
Não vejo...
Não ouço...
Não falo...

Apenas sinto...
Pois sem sentir não tenho sentido...
 
Não vejo,não ouço,não falo...

Doloroso ser idoso...

 
Vinha andando um certo Zé,um senhor aposentado

já estava bem cansado e a saúde não ajudava.

Resolveu tomar um ônibus,mas o que não desceu pela

garganta,foi o tal do motorista;lhe chamou de

vigarista!Porque sua identidade era na verdade

meia quatro e onze meses,e o fez pagar passagem.

Então seguiu viagem de pé,sem se queixar,e

obrigado a escutar lhe chamarem de "pé na cova".

Caminhou rumo ao banco o que causou um espanto

quando viu a fila que deveria enfrentar,pois o

caixa dos idosos se encontrava fora do ar.

Saindo do banco feliz com a mixaria,ouviu que lhe

diziam:

_Passa o dinheiro!

Não podia acreditar,eram dois meliantes que o

limparam num instante.

Agora estava o Zé,idoso,sem direitos,sem valor

e sem dinheiro!
 
Doloroso ser idoso...

Passos...

 
Passos...

Se com passos desequilibrados conheci a liberdade!

Porque não com passos firmes caminhar sem medo

em direção ao que é meu?

Desafiar o mundo com meus pequenos pés,

foi uma aventura,que acredito eu sem medo,mas com sorrisos,experimentei...

Agora que sou grande,tenho medo,como o de uma criança no escuro,

de coisas tão pequenas!

Tão perto de recomeçar,queria agora a coragem do primeiro passo,

que o gigante orgulho de mamãe comemorou...

Não tenho mais.Voltei a engatinhar...

Fiquei de pé.

_Venha!Venha!Como mamãe a vida me chama!

Estou de pé,dei o primeiro passo,o segundo,estou andando!

_Mamãe eu cresci!Eu cresci!

Passos assim se faz o mundo!
 
Passos...

O livre arbítrio...

 
O caminho da vida
escorria suavemente,
quando de repente,
um homem valente,inteligente,
viu a sua frente,dois caminhos
e não um somente,
embaralhada sua mente,
o destino de muita gente,
dependia tão somente,
da escolha do valente ou
do inteligente,
observando lentamente,
cuidadosamente,
sorriu sarcasticamente,
sentindo-se doente,
quando a duvida cruelmente,
lhe rasgava ao meio vagarosamente,
poderia seguir livremente ou aprisionadamente,
aprisionado andaria livremente,
livre morreria aprisionadamente...
Então o homem se assentou,e usou o mesmo livre arbítrio que o deixou naquela situação,
decidiu não decidir...
 
O livre arbítrio...

O índio de tênis...

 
O índio de tênis,já não mais sabe pisar o chão

como seus pais,ou despir se de maldade e se

embelezar de ingenuidade e urucum,em volta da

fogueira restaram nem mesmo lembranças,o pajé já

usa ervas de cores e formatos recriados,a força

das ervas e dos deuses não mais podem,pois se

envelheceram com o passado.

A índia já não preocupa-se em colocar lenha no

fogo pois o fogo já não é mais como vovó,já não

existe o medo de roubar nossas almas com uma caixa

plástica que faz luz,então pousemos para uma

fotografia,pois a nossa imagem já não nos assusta,

a beleza já não é mais natural pois o aço já tomou

até mesmo nossas orelhas,o pau a pique ganhou

luz,alô...aprendemos,as palavras já não são mais

nossas são de todos,pois queremos Portugal,Cabral

conte nos o que tocou teus olhos,para que possamos

saber quem somos Brasil!

No palácio o presidente sorriu retribuirmos o

sorriso sem descobrir que nos viam inferiores,e

gritou-se:

-Queimemos índios!ops,quero dizer...

-Lutemos índios!

Pena o índio de tênis não saber que no solo há uma

vida de sentidos,e se a índia descobrisse que no

fogo luz nascíamos em noite sem sorrisos de lua

cheia,o índio de tênis quer ser monumento da selva

de pedras,pois já até mesmo brigam pelo ouro...

A verdade é que nos perdemos,e o que somos?

Os índios de tênis!
 
O índio de tênis...

Vida de guerreiro...

 
Ontem em lembrança revivi certas dores,

não imaginava que ainda fossem tão

grandes dores,como um animal a sobrevivência

busquei,a encontrei em um lugar que tentei

ver com bons olhos e sorrir,mas ali ficou um

lembrete de minha vida,como fui parar ali,

ou o porque fui parar ali,não tive culpa para

usar como resposta,sempre que o destino se

fazia cruel como cicatrizes de facas marcadas

na pele,minha alma sempre se lembra,talvez já

houvessem momentos mais cruéis que os acima

descritos,mas não quero reviver a dor,não é dor

o desabafo que aqui se escreve,é vencer que

traz novos dias,sem dor sem fraqueza,sem

lágrimas amargas que não caem aos olhos,

as vitórias que ao meu olhar são muitas

me faz feliz,me tiram do passado,me dão armas,

para que novas batalhas não me intmidem,

antes de lutar tudo vejo possível e sempre

festejo quando o último golpe faz real o meu

sorriso,a cada dia novas batalhas são

propostas,as que são minhas me alegrão a

vitória,já que guerra não toca meus olhos,

luto sempre como vencedor,e de guerra em

guerra,vitória em vitória,a cada momento me faço

guerreiro...

O guerreiro do mundo da pedra de três pontas!

O meu mundo...

Onde sou invencível!

[/b] [/b]
 
Vida de guerreiro...

O poder!

 
Na condição de enganado,espero a próxima mentira,
que sem pudor ou caráter me doarão como opção.
E eu como cidadão indignado,
serei obrigado a escolher...O melhor?
-Não!O menos pior!
Tento não acreditar que já não temos mais chance,por isso no domingo acordo logo cedo,e lá estou,com dignidade e medo,de mais quatro anos conviver com a mentira que escolhemos como menos ruim,e agora bem pior se torna
quando sem humanidade se investe no poder,usam meu dinheiro para estampar jornais...
O povo já calejado,facilmente se vende ,acreditam quando uma luz no fim do túnel lhe ascendem,mas depois a levam,e a escuridão estampada fingem não ver.
Três poderes...Juntos poderiam salvar o país que tanto amo,mas lá estão cada um tentado mais poder,espero pelo dia em que um poder governe a paz,o poder que todos anseiam...
O poder viver!

Indignado fico com a propaganda eleitoral,
que tem mais atores que as novelas...
Só queria um pouco de respeito!
 
O poder!

Orando e vivendo...

 
Sopra a brisa fria da noite,
escuridão que me deixa só,
sinto a falta,sinto a dor da
duvida de tudo que ei de ser,
tendo tanto se fazendo em nada,
a música quebra o silêncio,
sigo até você pois sei que estás ái...
O amanhã me parece promissor
apesar dos exageiros,a escuridão
me traz novamente palavras,
me faz real, talvez não fosse
taõ alegre o sol de amanhã,mas o aguardo...
Ontem foi,hoje é,amanhã não sei,
sábes tu se sorrir ou chorar,é o mais sábio?pensso que já somos,
espero que pensse que somos,
liberdade em prisão,desatino de desilusão,contrariando a ilusão,
não tão verdade quanto a quentura do sol,esperar...
Se chega o choro,salga as nuvens,
suja o céu,comtamina a terra,
destroi o que morre sem alimento,
não chega...
Então um brinde sem tocar as taças,
um gole,o sangue corre novamente,
é a vida ela não morreu...
Saber chorar,saber sorrir agradeço!
 
Orando e vivendo...

Meus sentimentos a ti...

 
Sentimentos,escritos em meu destino me ensinam,

me causam dor,me enlouquecem.

A cada dia os sentimentos se unem,e com grande força

giram o mundo,assim se faz...

Rotação,translação,emoção.

o movimento que conduz ao lado do destino,meses,anos,vidas...

Falaria da emoção de amar,mas ao comparar com o mundo,

cada um ama como pode,como pode alguém que ama fazer...

Pode!O amor não se compara ou explica,

por isso esta emoção não comento.

Quando chego me emociono,logo depois me esqueço,a vitória

não passou,mas a emoção queimou os últimos fogos de artifício e com eles

se perdeu...

A Emoção de dor e ódio,com o bizarro acontecer,fez a justiça que em mais

um se tornou,porque se julgar com o mesmo paragrafo,se um foi bizarro e

o outro justiça?

Outra emoção outro ódio é o que te julga...

Uma paixão ao conhecer,novo sorriso,roupas,novo amor?

Não,ainda emoção,quando um futuro se enxerga,acalma

em teu peito paz agora,não mais guerra...

Emoção muitas,todas girando,ao som dos sentimentos em

leve valsa...

Lá no céu...

Lá em ti...

Cá em mim...
 
Meus sentimentos a ti...

Não estive lá mas imaginei...

 
Nas paredes frias,úmidas e emboloradas,haviam

gritos estampados por causa das grades

enferrujadas,que para sempre diriam quem sou,a

miséria,a discórdia,os atos destrutivos e

impiedosos,nos causam menos pavor,remorsos ou pena

que a morte de uma formiga corajosa,pisada

cruelmente pelos meus pés ,por não serem nossas as

almas que preenchem o nosso corpo, não temos

vida,por isso somos animais cassadores como

tigres,animais cruéis choram lágrimas chamadas de

crocodilo,mas são reais,matar é bem menos doloroso

que perder a própria alma,ter tempo para

lembrarmos do quanto somos humanos nos causa medo,

somos fracos ou fortes?

Não sabemos!Não a chance!A ilusão de poder parece

eterna,choramos a espera de alguém que quebre esta

ilusão,que nos devolvam um pouco da dignidade ou

qualquer outra coisa que dê um sentido para a

vida,não posso viver sem estrada,e crer que a

morte me guia,ser cruel é nojento,preciso amar

alguém,quando me libertar correrei o mundo a

procura de um alguém para amar,amar!

_Quero amar estou só, expremido entre um excesso

de pessoas sem amor,ódio não é um bom

sentimento,pode ter certeza eu sei do que falo.

Liberte-me é o que peço!

Ainda que só de imaginar causa muita dor...
 
Não estive lá mas imaginei...

Sábia,rude alma minha!

 
As vezes,a forte,rude,sábia,alma minha,para e grita:

_Será que tu!Viveras de carne e esquecerás que sou eu eterna?

_Ao contrario de sua "beleza"?Aliás!Sou eu a beleza brilha que em teu rosto.

_Eu amei...mas e daí?Se o teu corpo acabou com tudo,

seduzido pelo mundo foi cruel,vampiro tomou o sangue que era meu.

_E agora implora para que eu o levante?

_Não!Faças tu o que pedes,porque eu nunca mudei...

_Clamo por ti junto ao pai,amo o que te faz viver,pinto teu rosto

mesmo quando tu não queres ser visto,te dou armas guerreiro,

amo sua"flor",não lhe deixo me perder,continuo eu...


A forte,rude,sábia "alma tua".
 
Sábia,rude alma minha!

Caminhos e vidas...

 
Caminhos e vidas...

Nos caminhos

da vida como folha seca ao vento acreditei

traçar o meu destino,

quis passar por caminhos que não eram meus,

o vento soprou forte,me levando ao encontro de

sensações inigualáveis,dor,alegria,a liberdade

que nos caminhos do vento me levam onde estou,

só o vento do destino nunca perde o rumo,

sempre leva o viajante no momento exato,

na hora exata,no local marcado,

para que as vidas não se percam,

não se acabem no pó

sem sentido,a folha seca da vida antes de seu fim,

uma linda história já traçou ...

Seguir os caminhos que escrevem o futuro,

pensando em uma folha seca parece fácil ,

porem há momentos em que se pode escolher uma nova

corrente de ar ,seja sábio ,escolha sempre o caminho ,

que a leve alma seguir...

O mundo!

Caminhos e vidas...nada alem de"caminhos-vidas".
 
Caminhos e vidas...

Dimartins...