Poemas, frases e mensagens de MiguelGonçalves

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de MiguelGonçalves

Tu...

 
Tu...

Na grata sedução da luz que despe
E ao corpo sensação desperta vida
Certa maneira linda a mente veste

Por si esse momento é sem saída
Resume-se a um fato inconteste
Que faz a humana seiva assim parida

É gula arrebatando mil sabores
Contenda que faz lide incendiada
Qual fúria do prazer por tais odores
Atira-se à loucura, não apaga

No despertado rito dos amores
Saber de pele que o desejo afaga
Segredo desvendado enquanto fores
Eterno paraíso, a madrugada

(Miguel Eduardo Gonçalves)
 
Tu...

TRUNFO

 
Da noite, quando a intensidade é transformada
Na força enorme e carregada de presteza
Que o luxo paire rodeando essa esbelteza
A nossa aura que se faz apaixonada

Pequena e bela maravilha ela arrecada
Ao som das cores diluindo-se princesa
Adora o néctar extraído com surpresa
Por obra e encanto de uma vasta madrugada

Porém no intento bailarino que divise
Venha em suspense e desenhando pelos ares
Aquela pose indiscutível e sem crise

Que o indício claro e insofismável dos olhares
Mais alto fala e qual desejo sem deslize
Momento acaba a incendiar preliminares

Miguel Eduardo Gonçalves-
 
TRUNFO

INDIZÍVEL

 
INDIZÍVEL

Corre pelas veias
Laceia a língua
A boca saliva

(MEG)
 
INDIZÍVEL

HAIKAI

 
Primavera arrisca-
Num desabrochar de vida
Sabiás gorjeiam

Miguel Eduardo Gonçalves
 
HAIKAI

Poesia...

 
O coração tem a fórmula
Química do ilimitado
Onde se realizam os sonhos
Qual prazer obediente
A efeito de fantasia...
E a volúpia se produz
Na mais pura realidade!

(Miguel Eduardo Gonçalves)
 
Poesia...

DO MAIOR DOS PRAZERES-

 
E chegas tu agora
À superfície d'alma
Em busca do alimento
Com que sonhaste um dia
Remexendo a ficção
De um sonho incendiado
E às portas dessa hora
Fato que não se acanha
Em teu corpo o momento
Que incita a bigamia
Matando a indecisão
De que estive tomado

E entras por um segredo
Com teu mágico ser
Em jeito de serpente
Me virando a cabeça
Estagnando o vazio
Desta pureza amante
Que agora te concedo
Mulher de endoidecer
Altiva e impaciente
Por esta joia acesa
E de livre alvedrio
Meu sol assediante

Carinho sem demora
Que desperte o folguedo
Que te pira e te acalma
E me faz renascer
Com meu ímpeto atento
Da paixão mais veemente
Capricho da energia
Perante essa nudeza
Inteira sedução
Pela qual me extasio
Vencido, apaixonado
Meu vício delirante

Miguel Eduardo Gonçalves
 
DO MAIOR DOS PRAZERES-

POEMA SEM VERBOS

 
Bastante para mim, aos outros um apenas
Magnífico e grave no oco dos poemas
Em prosa e verso o ousado raio da razão
Paixão amargurada, falsa e atraente
Dos beijos, poeira, remédio porventura
Mas da alquimia passageira, essa loucura

Pois da miragem, a conclusão: puro branco
Outro mundo fugidio, sem opinião
Um saltimbanco, certamente melancólico
Por entre o doce das carícias do cetim
Enfim em meio dos prazeres e sentidos
Da tão ingrata e todavia sensatez

Miguel Eduardo Gonçalves-
 
POEMA SEM VERBOS

Relação de Corpos e Odores

 
Beleza que avança perfumista
Tomando a mente de sentido
Na paixão mais fetichista

Librés de sonhos vão à libido
Transpondo o cotidiano que se avista
Tornando-o universal e incontido

O que se descobre num beijo
Pequenas vidas em nádegas roliças
Mais uma razão que explorar

Pois somente é do sexo solfejo
E para transcender às premissas
Vai do instinto pavonear

(Miguel Eduardo Gonçalves)
 
Relação de Corpos e Odores

NA MEMÓRIA DO MEU CORAÇÃO

 
E mansamente dormes ...
...na memória de meu coração

Porque me encantas
O pensamento
E todos os impulsos
Prazeres por mim bradam

Paraíso arrebatado
Sonho os degraus-amores
E danço-danço-danço

E embora infernal a espera seja
Teus carinhos, mesmo distantes
São eterna fartura...

Miguel Eduardo Gonçalves
 
NA MEMÓRIA DO MEU CORAÇÃO

Fusão de Sentidos

 
Rolava pela cama audaz e improvisada
Diante de um desejo indômito e tirano
Alguma gula agindo em força alucinante
No beijo da volúpia em claro desempenho

Compasso que se vira e ondula na ‘tocada’
Perdida em rodopio do qual me louvo e ufano
Perna enroscada enseja o rito e se garante
Matéria humana e mente, acordes que desenho

Fadiga que a faz linda às luzes da indecência
E afoga o esconderijo em seiva indisfarçável
Com louco e involuntário acordo da exigência

Tu só és toda pele, esse lugar provável
Por si, do puro estilo, a fome e a saliência
Te vejo no apogeu excelso e inapelável

(Miguel Eduardo Gonçalves)
 
Fusão de Sentidos

FATAL-

 
Me apraz em meio à noite contemplar
Por entre o vaporoso teu perfume
Um seio que me pisca vaga-lume
E aos olhos vão pousando a vacilar
Aonde irão as mãos se demorar
Que entregue em tanta sede e muito ardume
A mente não se furta, e nem se pune
De a febre do desejo despertar
Em frêmito contrai-se a calma face
E o líquido de mim que tanto adoras
Qual vindo de penhascos se derrama
Deixando-te amazona que sonhasse
Galgar essa cadência só de botas
E fosse assim vestida para a cama

Miguel Eduardo Gonçalves
 
FATAL-

MEDITAÇÃO

 
Nada além de mim
Nem solidão há
Nesse caminhar
Em vida ocasional
Onde o olhar se passa
Indício de coisa qualquer
Dia ou noite, constantes
Onde tudo é
A intensidade de ser
E nada mais:
Lua que não vem
Apagado Sol
Em sono de silêncios...
Faltas-me!

Miguel Eduardo Gonçalves
 
MEDITAÇÃO

VIAGEM NO TEMPO

 
Perco-me em curioso pensamento
Nele sinto um perfume conhecido
Que traz uma saudade sem sentido
Lembrança causadora do momento

Agora, passo a limpo esse acalento
Pintado que se fora tão morrido
Num sonho que o trouxesse por ter sido
Imprevisto disfarce ao sentimento

Nem sequer o prazer é mais ensaio
Segredo destinado à fantasia
Da vida tempo raro onde recaio

Que todas as volúpias desse dia
Vieram das memórias de um diário
Miragens de uma idade em rebeldia

Miguel Eduardo Gonçalves-
 
VIAGEM NO TEMPO

PAIXÃO RITMADA

 
Mais de sol, a sorrir
Tão carmim, todo cor
E do amor estopim
Donde vim trovador
Em calor puro escol
Só em rol da alegria
Empatia do arrebol
Girassol do seu dia...
Céu, quem diria, assim
Todo ´clean´, pela areia
Minha esteira e lençol

(Miguel Edurado Gonçalves)
 
PAIXÃO RITMADA

DOS SENTIDOS

 
Expressão do invisível
Que realmente vive
Feito na crença
Vento palpável
Que encurva o mato
E parece esperar
O silêncio inteiro
A cantar pelos ares
Etéreo e fátuo
Senhor do momento
Em misterioso encanto
Que a natureza não esconde
Instintiva que é
E sutilmente implacável
Qual realidade presente
Que um dia se esvai
Como a filosofia pergunta

Miguel Eduardo Gonçalves-
 
DOS SENTIDOS

PINTURA

 
Se acaso eu fosse um pintor
Seria assim meu nascente
Um céu em doce esplendor
Trazendo a mim um presente
Versando ao mundo os amores
Fios da meada da gente
Por um segundo, calores
Da pincelada exigente
Ouse ninguém esboçar
Em tela mais reluzente
O cio d’alguém a versar
Também os ais de um poente

Miguel Eduardo Gonçalves-
 
PINTURA

Tu És Linda

 
É verdade que a juventude passa
Há nos sentires que senti, querida
Uma recordação de ti, tão rara
Aquela beleza sem fim, surgida
Agora, e que este ramalhete aclara...
Não é o tempo que aos poucos me foge
Mas a verdade em que o amor perdura!

Miguel Eduardo Gonçalves
 
Tu És Linda

LEQUE DE IMAGINAÇÕES

 
LEQUE DE IMAGINAÇÕES
Sonho de olhos abertos
Saio de mim à francesa
E voo como um colibri
(MEG)
 
LEQUE DE IMAGINAÇÕES

Seguinte...

 
Seguinte

Co’a mesma rapidez de cada instante
O medo paralisa a tentativa
E a vida assim se torna angustiante

Decerto aqui o verso aristocrata
O seja por estar na defensiva
Mentindo como o tempo que nos mata

E a alma de enroscada nesse enredo
Empaca nesta rima por despeito

(MEG)
 
Seguinte...

PEQUENO INFINITO

 
Na caligrafia firme

Do desejo insofismável

Um pensamento suave

Em capricho se define

Filme do seu movimento

Traz-me adorável empatia

Chave secreta do beijo

Magazine em que me fixo

Eis que teima sem limites

Com persistência imutável

Crescente em força atrativa

Seus prazeres aos milhares

Tão acintes, tão possíveis

Que o inapelável tesão

É intimativa vertente

Desses mares tanto meus

Miguel Eduardo Gonçalves
 
PEQUENO INFINITO