https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

«« Tortura ««

 
Desmembro-me em cada gesto ido
Em cada vasculhar de alma, a tortura
Que afugenta o carinho e a brandura
Do que poderia ser, assim perco o sentido

Igual à cor de um velho e sovado vestido
Que em tempos vesti com ternura
Nos dias frios me envolvi na formosura
Nas cores alaranjadas, do desconhecido

Agora quando o gesto virou chumbo
Em cada descoberta na longa estrada
Tudo se repete, feio é este mundo

Em que tudo se perde vira nada
Gestos embrulhados em prata amarela
Porque o ouro, esse, é prata disfarçada.

Antónia RuivoOpen in new window


Era tão fácil a poesia evoluir, era deixa-la solta pelas valetas onde os cantoneiros a pudessem podar, sachar, dilacerar, sem que o poeta ficasse susceptibilizado.

Duas caras da mesma moeda:

Poetamaldito e seu apêndice ´´Zulmira´´
Julia_Soares u...

 
Autor
Antónia Ruivo
 
Texto
Data
Leituras
1729
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
18 pontos
10
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 10/10/2009 09:32  Atualizado: 10/10/2009 09:32
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 12064
 Re: «« Tortura ««
Um soneto nostálgico mas muito belo, com a tua marca.

Beijos


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 10/10/2009 09:37  Atualizado: 10/10/2009 09:37
 Re: «« Tortura ««
Pois é Antónia
quem laranja o veste
na poesia o despe (mais cedo ou mais tarde)
continuo a gostar de ti
beijos


Enviado por Tópico
(re)velata
Publicado: 10/10/2009 10:59  Atualizado: 10/10/2009 10:59
Colaborador
Usuário desde: 23/02/2009
Localidade: Lagos
Mensagens: 2181
 Re: «« Tortura ««
Que bem escolhidas as tuas imagens, Antónia! Gostei especialmente dos dois tercetos, muito bem articulados.

Parabéns! Já tinha saudades dos teus sonetos

Beijinho


Enviado por Tópico
CarlosCarpinteiro
Publicado: 10/10/2009 19:01  Atualizado: 10/10/2009 19:01
Da casa!
Usuário desde: 22/02/2007
Localidade: Mondeville
Mensagens: 200
 Re: «« Tortura ««
A alma nua, não seca, continua atraente
Os trapos só disfarçam para cegos
Quem olha além-mar, não vê as fraldas e vê a gente
Simples e bela, não vê o trigo, mas vê os regos

Será tristeza, será mágoa, será o tempo
de qualquer modo, um estado muito bem descrito
parabéns Antónia


Enviado por Tópico
mariamateus
Publicado: 15/10/2009 13:05  Atualizado: 15/10/2009 13:05
Da casa!
Usuário desde: 16/04/2009
Localidade: Vila Nova de Gaia..Porto
Mensagens: 452
 Re: «« Tortura ««
Antónia

Lindo soneto.
Já sentia saudade de ler algo seu!


Abraço luz!