Poemas : 

Demónios

 
Há demónios que não deixam
Simples marcas numa alma.
Ficam, sorriem e na calma
Da noite, com fervor, nos esquartejam.

Há demónios que não sabem o que são
(Acreditam na sua angelicalidade),
Mas o certo é que connosco cresce a idade,
Só de alguns, porém, o coração.

E demónios não lhes chamo por acção,
Porque a acção na nossa vida é só metade.
O resto é... passividade
Que conduz este Planeta à escuridão!

Porém, os demónios não se fecham
Numa jaula, nem se acalma
A sua ira na deposição da palma.
Porque eles não morrem... onde quer que estejam...

 
Autor
AngeloP
Autor
 
Texto
Data
Leituras
637
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.