https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

P/RosaDsaron

 
Quando eu nasci, hum fúnebre Agoureiro,
Que observou meu horóscopo malino,
Disse logo a meus pais: Este menino
Nunca há de ter saúde, nem dinheiro.

Entra a gente de casa n’um berreiro;
Acode a vizinhança ao desatino;
E consultando sobre o meu destino,
Tratão de me engeitar por derradeiro.

Fica em pé a questão; e a profecia
De nunca ter saúde, nem real,
Bendito Deos! Não tem falhado hum dia.

Resta-me só, já agora, por mais mal,
Ir comer as rações á portaria,
Ir morrer nas coxias do Hospital.

Tirado do livro de rimas do autor:
João Xavier de Matos de 1783

 
Autor
mariagomes
 
Texto
Data
Leituras
632
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
3
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 21/05/2010 22:33  Atualizado: 21/05/2010 22:33
 Re: P/RosaDsaron/Para Mariagomes
Ah minha amiga!
Que maravilha este soneto!

Obrigada de coração...como é bom ter amigas assim...um poeta que estou amando conhecer...poesias fortes,com sentimentos sentidos...

Maria,obrigada de todo coração!
Nunca esquecerei deste carinho teu!

Beijinhos carinhosos e ternos minha amiga!

Rosa
OBS:Estou de saida para a Faculdade,mas assim que chegar vou ler ele novamente...e deixar ele entrar em mim...


Enviado por Tópico
carolcarolina
Publicado: 21/05/2010 23:56  Atualizado: 21/05/2010 23:56
Colaborador
Usuário desde: 24/01/2010
Localidade: RS/Brasil
Mensagens: 9297
 Re: P/RosaDsaron
Querida Poetisa
Maria Gomes!

Desculpa meter-me no presente da RosaDsaron.
Mas queria agradecer por mais um belo soneto.
Bjinhos
♫Carol