https://www.poetris.com/

Textos religiosos

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares da categoria textos religiosos

Três flores!

 
Três flores! Fátima 13/572017 (Visita do Papa)

Pelos campos nascem flores espontâneas pequeninas mimosas
surgiram do nada aquelas lindas e belas cores matizadas e têm
magia não, natureza pura, ciência de providência e harmonia
que só Deus na sua grande sabedoria e clarividência prevêem.

Pois nesses campos percorrem todos os dias três flores simples
alegres as faces puras, esteja bom tempo ou não vão pastorear.
Tomam o caminho, alegres e descuidadas, pulam, riem, brincam,
levam um naco de pão e queijo, talvez pouco mais, para merendar.

Um dia, temerosos olham entre si, uma luz intensa vem do céu,
olham e vêem admirados uma senhora brilhante como o sol
linda como os anjos, traz um rosário na mão, cobre-a um véu.

Docemente pede-lhes que rezem o terço todos os dias e viria…
e falava-lhes, orai salvai o mundo! Elas obedientes ajoelhavam,
oravam precedendo momentos divinos, o milagre da Cova da Iria!
 
Três flores!

Tu és tudo pra mim!

 
Tu és tudo pra mim!
 
Quando estou a te servir
Tudo é mais encanto...
A alegria me invade...
A calma me toma e...
Sinto descanso!

Tuas mãos me renovam,
Teu olhar me acalma
Teu sorriso me ilumina,
Sinto a paz divina.

Longe de ti, me entristeço.
Perco-me desfaleço!
Somente em teus braços...
Encontro-me e assim.....
Fortaleço-me

Amo-te meu Senhor...
Tu és a fonte da vida
Pra ti tudo que sou...
Pois tu és meu amor!
 
Tu és tudo pra mim!

Públius Lentulis

 
Públius Lentulis
 
E tu, César!
Não conheces a virtude e a simplicidade desse homem que dizem filho do Criador do Céu e da terra e Fructus Ventris da candura de Maria de Nazaré.
Nunca lhe viste o rosto de traços finos, ainda que marcantes, nem a chama que o seu olhar emana, de tal forma que nunca ninguém ousou olhar-lhe dentro dos olhos, porque o seu brilho, de tão intenso, pode cegar-nos.
Jamais testemunhaste os milagres que opera, ressuscitando os mortos e reabilitando os desenganados e enfermos.
Quem és tu, César, para te julgares carismático? Assim o é o profeta, detentor de uma beleza de alma ímpar, contrastante com uma enorme simplicidade.
Desde quando verberas e apregoas a palavra do Senhor?
Alguma vez sentiste a força da palavra pelo bem?
Para que o queres conhecer, César?

Públius Lentulis
Governador da Judeia e predecessor de Pôncio Pilatos
Ministrou a doutrina de Jesus após a sua crucifixação

Maria Fernanda Reis Esteves
50 anos
natural: Setúbal
 
Públius Lentulis

ÁGUA VIVA

 
ÁGUA VIVA
 
Dai-me de beber
– pedira Ele quando por ali passava
com a voz suave e firme à samaritana
que O esperava...

- desse teu cântaro que jorra a água
que a sede do corpo sacia num momento
não terás a esperança por término do lamento
nem te promoverás a mudança...

´Ofereço-te de mim
a água viva
que sacia a alma e o sentimento
tornando-te livre e não cativa
da dor e do sofrimento...

Digo-te que aquele que beber
da água cristalina que eu der
terá vida plena de muita luz
que só as bênçãos de Deus
podem conceder...

Maria Lucia (Centelha Luminosa)
 
ÁGUA VIVA

Ao bispo católico com carinho

 
Ao bispo católico com carinho
( dos Santos )

A Igreja Católica tem dessas quando você acha que não pode piorar vem o bispo.

Dia desses li que um médico realizou um aborto em menina de nove anos estuprada pelo padrasto, até ai uma triste e lamentável notícia que nos enche de nojo, mas o pior viria a seguir, o tal bispo excomungou o médico, a mãe e todos que participaram do aborto da menina.

Afinal o bispo é a favor da vida, e o aborto é um ato de morte, mas será isso mesmo, será ele um severo defensor da vida e dos bons costumes, ou apenas mais um cego de visão deturpada que obedece cegamente a leis (dogmas) que jamais contesta?

Oras se o tal bispo é a favor da vida não sabe ele que a menina e os fetos que carregava em seu ventre jamais sobreviveriam se tal sandice (gravidez), se a mesma fosse levada a frente?

Não foi ele informado pelos meios de comunicação que não existiam chances para tal ato? E por fim, se ele sábia será mesmo sinceramente que ele defendia a vida?

Afinal nobres amigos, se ele defende a vida como o diz teria assim apoiado o aborto, por exatamente saber que os fetos não sobreviveriam, e apenas a menina e tão somente a menina poderia sobreviver, então me causa estranheza ele dizer ser um defensor da vida quando exatamente fazia o contrário, condenava uma menina de nove anos a morte.

Oras bispo tenha a coragem de dizer que você não defende a vida, defende apenas uma visão estreita (dogma) não se importando com as pessoas, nem sequer com as situações pelas quais estas pessoas passam, no fim o nobre bispo defende de fato leis absurdas baseadas no oito ou oitenta, que não permitem o uso do bom senso nem seque uma reflexão sobre o mesmo.

Mas o escárnio disto ainda se faria maior, o Vaticano sim sempre ele com suas piadas de mau gosto, se colocou em favor do bispo, afinal o dogma e sempre mais importante que uma menina de nove anos e sua vida, oras bolas afinal o que queremos, que uma menina sobreviva ou uma lei santificada pelo papa sobreviva?

Há me lembrei, quanto ao estuprador cometeu apenas um pecado gravíssimo, mas o médico que salvou a menina, aquele maldito herege que deve queimar no fogo do inferno foi punido com excomunhão, afinal usar do amor ao próximo e do bom senso para salvar uma vida indo contra o dogma é sem dúvida um pecado capital.

respeite os direitos autorais
 
Ao bispo católico com carinho

Vacuidade ou brincando de budismo...

 
Um dos temas mais importantes e intrigantes do Budismo é a vacuidade, que seria tecnicamente "Estado ou qualidade de vazio". Talvez uma tradução melhor fosse “inconcebível” ou “que não pode ser nomeado”. Mas quando os budistas falam de vacuidade, eles não querem dizer “o nada”, mas sim um potencial ilimitado que algo tem de surgir, mudar ou desaparecer.
Vacuidade seria como perceber que do nada brota tudo, da impermanência das coisas podem surgir todas as coisas permanentes. Não é niilismo em nenhum momento, como na citação mais usada de gota no oceano, você não deixa de ser gota mas não deixa de ser oceano. O budismo também não é pessimista, como muitos ocidentais acreditam, é apenas realista, mostrando a impermanência das coisas. O amor também é vacuidade, quando pensamos no amor pensamos no amado ou amada mas pensamos em que, no que brota do nada, no potencial ilimitado que algo tem de surgir, mudar ou desaparecer. Pensamos no amor ao pensar no beijo, no carinho, no sexo mas é claro que pensamos em A, B ou C indivíduo mas no fundo no fundo pensamos, no existir naquele momento. daí não existe a amada, existe o objeto do amor no sentido metafísico. como algo real e abstrato ao mesmo tempo. Não existe metade da laranja no amor, existe a laranja feita pelas metades, unidas.
Enfim devemos lembrar que tudo passa mas é muito difícil, ninguém quer o vazio pois temos a sensação continua de algo a ser preenchido, o que é o apego, somos apegados a tudo e muitas vezes esquecemos que o destino é um só. Foi esta a grande motivação de Buda, livrar-se do apego material
Por isto buscamos tanto esta sensação, as escrituras budistas dizem que achar o "vazio" é como ter um pedacinho do nirvana de graça, aqui e agora, certamente achar a sensação do amor, repleto e vazio ao mesmo tempo. Como se realmente soubessemos o que é amor e a conexão direta com o mundo e com os seus seres... isto é para os iluminados (Bodhisattva) que renunciam a felicidade "até que o último talo de grama atinja a iluminação"
 
Vacuidade ou brincando de budismo...

Ter fé é acreditar

 
Ter fé é assinar uma folha em branco e deixar que Deus nela escreva o que quiser.
Santo Agostinho

Ter fé é acreditar que Deus é poderoso para realizar o desejo de nossos corações, desde que, esses desejos estejam de acordo com sua vontade. Temos a fraqueza de não acreditarmos nos milagres ou nas ações de Deus em nossas vidas. Muitas vezes queremos ansiosamente a realização de um desejo ou mesmo a solução para um problema que nos perturba e pedimos com fé para que Deus possa nos ajudar. Acontece que, não raramente, somos surpreendidos com a nossa incredulidade sobre esses milagres.

Como bem discorre o filósofo fundador da Patrística e consolidador das doutrinas cristãs do século V da era cristã, ter fé é assinar uma folha em branco e deixar que Deus nela escreva o que quiser. Tomar essa atitude demonstra nossa total confiança na sabedoria de Deus sobre as nossas vidas. Demonstra nossa total dependência em sua misericórida. O que nos impede de receber as bençãos de Deus é que nem sempre estamos dispostos a cumprir a vontade de Deus.

Podemos inferir isso da vida de diversos personagens bíblicos, por exemplo, além de outros personagens históricos que passaram por essa terra. Um dos casos mais emblemáticos que podemos ver é Jonas. Deus o chamou para ser profeta e deu a ele a responsabilidade de ir pregar aos ninivitas. Ele não confiou nos planos de Deus e tomou uma outra direção. Logicamente que teve sérias consequências por ter tomado essa atitude e saído da direção de Deus. Ter fé é acreditar no que Deus estabelece para nós. Entrega teu caminho ao SENHOR, confia nEle e Ele tudo fará.

A mensagem nesse dia é para aqueles que estão passando por momentos de dúvidas e incertezas na vida. Saiba que Deus tem o melhor para você, mas Ele precisa que você confie nEle. Deus quer que entreguemos em suas mãos as nossas ansiedades e deixemos que Ele nos guie até as fontes de água viva. Assine a folha da sua vida e entregue-a nas mãos de Deus. Tenha fé que Ele fará o melhor para você. Isso acontece porque Ele conhece os nossos caminhos e nossa vida e sabe qual é a melhor solução. Mesmo que não entenda no começo, mas logo você verá o agir de Deus na sua vida. A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem. Hebreus 11.1.

Texto: Odair

Odair José

http://meutestemunhovivo.blogspot.com
 
Ter fé é acreditar

NOSSA INIQUIDADE, um pouco mais...

 
Já falamos sobre a iniquidade dos homens com ênfase em seu atual estágio e sob ótica espiritualista.

No entanto, há miríades de aspectos do dia da dia, bem terra a terra, que não podem ser deixados sem expressa menção.

Muitas vezes a têmpera que só o forno e muitos choques térmicos permitem transformar o minério numa lâmina cristalina exige esforço e dedicação tais que o ferreiro claudica. Fraqueja. Duvida do sucesso e até mesmo põe em dúvida se vale a pena ser vivenviado.

O minério chega às mãos do ferreiro do mesmo modo que a rocha grosseira e disforme é apresentada ao escultor. Enquanto um se extenua sob o calor indispensável ao seu trabalho, o outro se estafa com marretas, martelos, cinzéis, que só funcionam sob insuportável esforço físico misturado com a precisão que faz de ambas as atividades uma autêtica Arte.

Quantos grandes Artistas da Alma esse mundo já conheceu? Toda a história humana não encheria um volume com grandes nomes. Mesmo quanto a e esses, quase nada sabemos de suas falhas e dos tantos momentos de desânimo e desencanto. Enfim, se compararmos com o todo da jornada humana são raríssimos em cotejo com os que simplesmente puseram de lado tais misteres e seguiram por outras sendas.

Pois bem.

É assim no sempiterno desforço da alma humanizada. O acúmulo de decepções é causa bem mais relevante do que a simples indiferença ou mesmo esqualidez de alguns aventureiros. Os que vencem seus limites, entregam a obra e colhem os frutos. Não duvide que boa parte destes já, então, nem deseja mais tais frutos porquanto sem valor diante do que foi realizado sob tamalho sacrifício e incompreensão.

O Cristo, consoante o Ensino Superior na vertente mais recente e ocidental, deu-se como exemplo dos enormes espinheiros percorridos e que, impostos e cravados em sua fronte, caracterizaram-lhe a coroa com que o mundo o distinguiu diante dos demais.

O homem se contenta em não fazer o que lhe cabe. O ser humano se satisfaz por manter-se em seus parcos limites de convicções autocorroentes de prazer e euforia. A Vida é pródiga em prover todos os meios para que o homem escolha centenas de cenários ilusórios, ao invés de seguir pela senda difícil, árdua, quase autodestrutiva, a que uma pequeníssima chama de Verdade o convoca todos os dias.

Dentre os poucos que tentam seguir essa convocação, infelizmente, a maior parte termina deixando para trás seus deveres espirituais por não resistir, anos a fio, aos tormentos que o submetem e sobre os quais não tem controle.

Controle?

Não foi o próprio Cristo que nos falou de afastarmos as preocupações com as coisas do mundo e seguir em busca do Reino de Deus, com a promessa de que tudo o mais nos seria acrescentado? Não duvido de que essa seja uma Verdade Universal. Todavia, a própria estadia do Mestre dos Mestres nesse mundo evidenciou que os acréscimos das necessidades conhecidas pelo Pai poderiam, como de fato puderam, levá-lo à famosa locução "Pai, afasta de mim esse cálice".

O Cristo aceitou o cálice e dele sorveu até a última gota, trocando o livre arbítrio pelo senso de dever que registrou aos homens sob a cláusula "Seja feita a Vossa Vontade".

No entanto, eu, pelo menos, não sou o Cristo. Assim, tomo-lhe os Ensinos como norte absoluto e não os descreio. Entretanto, descreio, sim, da minha miserável condição espiritual em proceder como ensinado.

Acho que a Benevolência, a Indulgência e o Perdão, diamantes atirados a essa vara de porcos humanizados, são pisoteados pela maioria desde que a consciência atinge a noção de que muito, mas muito mesmo, lhe será exigido.

Alguns, pisam com menos arrogância, outros sob a vaidade que constrói uma sólida máscara de personalismo, inventando para si mesmos missões arquitetadas com o minucioso cuidado de não trazer quase nenhum esforço de auto-aperfeiçoamento.

Já outros aceitam o Ensino e, mesmo sob seus senões ainda inevitáveis, tentam seguir o Mestre. Dentre esses, inúmeros se deixam prostrar. Caem. Levantam-se novamente para novamente, mais adiante, serem demolidos.

Somente os que têm uma marca na testa, não física mas espiritual, têm a tenacidade que a Obra exige.

Tenha muito cuidado com sua Vigilância. Os inimigos mais destrutivos não estão com fardamentos diferentes além de alguma fronteira; estão e são muitíssimo mais pertos e dissimulados do que você imagina. O primeiro deles é o veneno que o tenta continuamente a desistir. Logo atrás, sob o comando desse generalíssimo, os combatentes do mau combate cercam sua vida nos círculos mais próximos de seu viver.

Conheça www.sugestoesdevida.blogspot.com.br
 
NOSSA INIQUIDADE, um pouco mais...

* E DEUS DISSE NÃO*

 
" rel="nofollow">http://recantodasletras.uol.com.br/us ... mini/303388.jpg">

*E DEUS DISSE "NAO" (REFLEXÃO)
LIVRO FALADO

-Eu pedi a Deus para tirar a minha dor.
Deus me disse não.
-Não cabe a mim tirá-Ia, mas a você desistir dela.
-Eu pedi a Deus para fazer com que meu filho deficiente físico fosse perfeito.
Deus me disse não.
-Seu espírito é perfeito e seu corpo e apenas provisório.
-Eu pedi a Deus para me dar paciência.
Deus me disse não.
-A paciência e um derivado de tribulações não e doada, é conquistada.
-Eu pedi a Deus para me dar felicidade.
Deus me disse não.
-Eu Ihe dou bênçãos. A felicidade depende de você.
-Eu pedi a Deus para me proteger da dor.
Deus me disse não.
-O sofrimento Ihe separa dos conceitos do mundo e Ihe traz mais perto de mim.
-Eu pedi a Deus para fazer o meu espírito crescer.
Deus me disse não.
-Você tem que crescer sozinho,
mas eu Ihe podarei para que você possa dar frutos.
-Eu pedi a Deus todas as coisas para que eu pudesse gostar da vida.
Deus me disse não.
-Eu Ihe dou vida para que você possa gostar de todas as coisas.
-Eu pedi a Deus para me ajudar a AMAR os outros, o tanto que Ele me ama.
Deus me disse...
-Ah! Finalmente você captou a ideia!
Ama ao teu próximo como a ti mesmo.

Texto cedido pela Sociedade de Assistência
aos Cegos - Autor desconhecido.
Tem uma equipe de voluntários que gravam
livros para os deficientes visuais.
Faço parte desta equipe.

Sonia Nogueira *sogueira
 
* E DEUS DISSE NÃO*

A Nossa Senhora da Conceição Aparecida

 
A Nossa Senhora da Conceição Aparecida
 
Agradeço a graça atendida
Ao apelo aos meus insignificantes pedidos
Agradeço a espera e a tristeza
Agradeço a humildade e as conquistas
A liberdade e a esperança
Agradeço ao pronto atendimento ao meu pedido
E agradeço apesar de tão distante da fé e do mundo
Agradeço a paz na realização dos infortúnios
E publicamente agradeço a oportunidade
A sua aparição no meu contexto de egoísmo e falta de fé
Ao sucesso da resposta
Agradeço por ser pecadora
E pouco merecedora de obter significados
Obrigada por ser a companheira da vida inteira
E que mesmo eu seja simples refém da imagem
Estando melancólica e solitária
Agradeço pela força do mar e da fé
E ao amor que tenho ao ser humano
E a tudo que sobrevivo com esperança
Obrigada por merecer seu carinho e atenção
Agradeço Nossa Senhora Aparecida
Obrigada meu Deus por mais esse dia de merecimento.
Obrigada.

Nossa Senhora Aparecida (Pesquisa sobre a aparição da Santa)
A própria imagem de Nossa Senhora Aparecida resume em si, todas as qualidades de síntese cultural, de conciliação e da unidade da qual estamos falando. E sem dúvida, sua "aparição" foi uma clara resposta, desde a fé, a todo esse difícil contexto político-social que atravessava a Colônia no início do s. XVIII.
"Entre muitos, foram a pescar Domingos Martins Garcia, João Alves e Felipe Pedroso com suas canoas. E principiando a lançar as suas redes no Porto de José Corrêa Leite, continuaram até o Porto de Itaguassu, distância bastante, sem tirar peixe algum. E lançando neste porto, João Alves a sua rede de rastro, tirou o corpo da Senhora, sem cabeça; lançando mais abaixo outra vez a rede tirou a cabeça da mesma Senhora, não se sabendo nunca quem ali a lançasse. Guardou o inventor esta imagem em um tal ou qual pano, e continuando a pescaria, não tendo até então tomado peixe algum, dali por diante foi tão copiosa a pescaria em poucos lanços, que receoso, e os companheiros, de naufragarem pelo muito peixe que tinham nas canoas, se retiraram a suas vivendas, admirados deste sucesso" .
 
A Nossa Senhora da Conceição Aparecida

'A LOJA DE DEUS'

 
'A LOJA DE DEUS'
 
 
'A LOJA DE DEUS'

Caminhando pela rua vi uma loja que chamava-se LOJA DE DEUS, entrei na loja e vi um anjo no balcão.
Maravilhado lhe perguntei:
__Santo Anjo do Senhor, o que vendes?
Ele me respondeu:
__ Todos os dons de Deus.
__Custa muito caro?
__Não, é tudo de graça.
Contemplei a loja e vi jarros e vidros de fé, pacotes de esperanças,
caixinhas de salvação e sabedoria.
Tomei coragem e pedi:
__ Por favor quero muito amor de Deus, todo perdão dele,
Vidro de fé,bastante felicidade e salvação eterna para mim
e toda a minha família.
Então o Anjo do Senhor preparou um pequeno embrulho,
Que cabia na palma de minha mão.
Sem entender perguntei-lhe:
__ Como é possível colocar tantas coisas nesse pequeno embrulho?
O Anjo respondeu-me sorrindo:
__ Meu querido irmão,na loja de DEUS não oferecemos frutos,
apenas as sementes.

Texto de um calendário.
Achei lindo o texto e uma ótima reflexão, Deus nos da o semente você tem que cultiva-la para delas nascerem belos frutos.
Cada um cultiva sua semente para ter belos frutos.
Tenham todos meus amigos uma linda e abençoada noite.
 
'A LOJA DE DEUS'

Não consigo admitir o acaso.

 
(FILOSOLIA DE BOTECO)

O homem cria modelos e teorias tentando explicar a natureza e aos poucos vai formulando suas leis, desvendando as forças que regem o universo, aprendendo a dominá-las, sem às vezes perceber o quanto tudo isso é incrível. Tudo parece interagir de uma forma pensada, como se cada uma delas tivesse um objetivo lógico. A gravidade por exemplo, não lhe parece algo pensado massa atrair massa e isso simplesmente sustentar o universo? Que ligação existe entre essas massas? O que nos prende a Terra que faz com que ela nos puxe de volta quando pulamos? Já parou pra pensar se esta força não existisse? Tente perceber o quanto isso é mágico. Se observarmos um simples átomo da forma que conhecemos hoje, vamos ver várias outras mágicas. São forças diretas de atração e repulsão (elétricas), perpendiculares relacionada ao movimento de carga (magnéticas), outras definidas em teorias, como as forças fortes e fracas, responsáveis por manter o núcleo do átomo. Temos ainda a quantização da energia (teoria quântica, onde a energia existe na natureza de forma discreta e não contínua) que organiza as orbitas dos elétrons e que em termos o impede de ir definitivamente para o núcleo, e acabar o mundo. Tudo mágica! Graças as essas interações, prótons, eletros, e companhia se juntam criando um átomo, átomos se juntam criando moléculas... Cada uma dessas forças tem sua particularidades, sem as quais nada existiria.
Incrível! Não é? Mas isso tudo não é nada comparado a vida. Essa sim é surpreendente! É contrária à física, se a tendência é a inércia, como surgiu algo tão dinâmico? Qual força desconhecida impulsionou a vida, fazendo com que moléculas se agrupassem até formar algo estruturado capaz de retirar elementos da natureza e fazer cópias de si mesmo. Dai então qual força incrível continuou agindo para que esses seres se unissem formando novas estruturas, criando seres cada vez mais complexos até chegar onde chegou, toda esta explosão de vida, de seres. Dá pra acreditar que é obra do acaso? A codificação genética, capaz de levar numa sequencia de moléculas (aminoácidos) todas as características de um ser vivo. Os mecanismos biológicos que permitiram a evolução das espécies pela seleção natural (crossing-over, por exemplo). Tudo tão perfeito, criado pelo nada? Sei que pra muitos pode parecer engraçado falar em evolução das espécies, seleção natural de Darwin, associada a inteligência de Deus, quando muitos acreditam que de certa forma, como eu também pensava, que ela justifica o acaso. Muitas religiosos ainda buscam argumentos pra tentar contradizer a teoria. Em alguns lugares, o estudo da lei de Darwin chegou a ser proibido (um caso famoso resultou no julgamento de John Scopes, no Tennessee em 1925, o caso ficou conhecido como Monkey trial). Mas a teoria contraria as religiões e não a inteligência de Deus. Como eu não tenho partido, já não acredito mesmo nelas, hoje vejo tudo de forma bem diferente. Pergunto então: Não lhe parece que criar algo capaz de evoluir e se adaptar ao meio é muito mais inteligente do que da forma imposta pelo criacionismo? Imagine se Henry Ford tivesse criado o Ford T de uma forma que ele conseguisse por conta própria evoluir para uma Ferrari, não teria sido mais genial?
Agora pense na ciência, tudo que homem descobriu, toda essa tecnologia do mundo atual... É uma inteligência admirável! No entanto pra chegarmos aqui foram precisos bilhões de cérebros pensando, trocando conhecimento ao longo de milhares de anos. Nos julgamos inteligentes, nossos feitos são extraordinários, mas estamos longe de criarmos algo tão incrível como nós mesmos, por exemplo. Veja: milhões de cérebros, por milhares de anos, nos julgamos inteligentes, mas não chegamos perto de algo tão incrível! Dá pra dizer que não há uma inteligência por trás da criação agora? Sem contar que muitos de nossas criações se baseiam na própria natureza (exemplo, redes neurais usadas em sistemas de inteligência artificial) e o homem sabe muito bem que convém imita-la (Biomimética). Sem dizer ainda, que sendo nós fruto dessa inteligência, tudo que criamos se deve a ela, é parte dela. E agora?
Quanto mais eu observo a natureza, mais ela me surpreende. Quanto mais busco respostas na ciência, mais ela me apontava essa inteligência, em cada detalhe. E se não consigo negar essa inteligência, não posso negar a existência de Deus.

_________________________________________________
(RESUMO)

Não consigo admitir o acaso.
Negar Deus, pra mim, é como ler o mais lindo e extenso poema escrito na areia da praia e dizer que o poeta é o vento.
 
Não consigo admitir o acaso.

`Artimanhas do Azar~

 
`Artimanhas do Azar~
 
O azar é o navegante mais ousado que já existiu. É um hóspede que ninguém faz planos para o receber, mas é tão gentil, assíduo e atento que visita a todos. Ninguém dele se escapa. Ninguém se quer consegue o repelir. Quando o azar pede licença é para entrar, turvar, deixar hematomas e ir-se embora. E, naturalmente, o azar por onde passa deixa suas moléculas para poder germinar facilmente quando quiser retornar. Ele, nunca falha, sempre retorna. É o mestre das visitas clandestinas e age como um leão: ataca surpreendentemente antes que o alvo se prepare.
Sendo assim, todos os dias, peço a Deus que me fortifique e me livre deste mal chamado azar. Todos os dias, ajoelho-me, faço uma prece e peço a proteção divina recitando Salmos 27:1-3, "O SENHOR é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O SENHOR é a força da minha vida; de quem me recearei?
Quando os malvados, meus adversários e meus inimigos, se chegaram contra mim, para comerem as minhas carnes, tropeçaram e caíram.
Ainda que um exército me cercasse, o meu coração não temeria; ainda que a guerra se levantasse contra mim, nisto confiaria. "
 
`Artimanhas do Azar~

Quando tu dormes -Um poema Para FábioFan

 
Quando tu dormes -Um poema Para FábioFan
 
 
 
Quando tu dormes
Entra no suspiro da terra
E nela se aconchega em seu útero,
Buscando o melhor lugar
Para debruças o teu sonhar...

Quando tu dormes
Adentra o portal dos sonhos
Neles encontras
O celeiro do céu
Onde as estrelas acordam
E contigo se deitam….

Quando tu dormes
Entras na cordilheira
Da natureza encantada
Onde se confunde
Com os verdes dos teus olhos
E a ela se integra
E se entrega
Vivificando o que
Tem de melhor...

Quando tu dormes
Faz a tua caminhada
Pelos caminhos de Santiago
E em prece clamas pelo colo de Maria
E ela te faz aconchegado em si...

Quando tu dormes
As janelas esmeralda pura teus olhos
Se fecham...
E a janela da tu'alma se abre
Te trazendo os melhores sonhos...

Quando tu dormes
Encontras com tua mãezinha
Que tua face acaricia
E te diz,
Vai meu filho e sejas
Muito feliz...

Quando tu Fabinho, dormes...

Minhas mãos dedilham esta poesia
Somente pra te dizer AMIGO
Te amo de bom dia...
Na plenitude do teu alvo
Amanhecer...

Quando tu dormes!!!

Ray Nascimento

De Deus é unigenito
Gigante forjou o universo
Silenciou a ventania e sobre as águas andou
Poderoso cavalgou no vento forte
E fez de um jumentinho sua montaria
Lavou os pés de quem ensinava
O demônio o seu poder temia
Humilde precisou do colo de Maria
Foi amigo dos pobres
Deu sua vida por todos
Morreu como um condenado
Levando nossos pecados
Venceu a morte em três dias
Hoje a destra de Deus
Ele te espera
Por um olhar... nesta nossa correria

Com certeza aqui o COLO DE MARIA
está bem guardado...
TODOS OS DIREITOS AUTORAIS DE NO COLO DE MARIA
E IMAGEM AO POETA FÁBIO LEONARDO -FabioFan

Fonte: http://www.luso-poemas.net/modules/ne ... ryid=264052#ixzz2tdU0mBcm
 
Quando tu dormes -Um poema Para FábioFan

ORAÇÃO PELA SAÚDE DO POETA @poetamilnovo.

 
Senhor, neste momento de tristeza,
Quero fazer esta oração para o Poeta @poetamilnovo,
Que encontra-se hospitalizado,
Precisando de Tua proteção e ajuda.

Senhor, não tenho palavras bonitas,
Mas tenho um coração cheio de fé,
Para Te oferecer!
Cura esse bom e querido amigo,
Livra-o desta enfermidade!

Sei que o Senhor é o Médico dos médicos,
O Cirurgião dos cirurgiões,
Sei que podes fazer esse milagre.
Senhor tenha compaixão desta vida!

Amém!

PS: Poetas e Poetisas, vamos nos unir e fazer uma corrente de oração,
pedindo a breve melhora do Poeta @poetamilnovo.
 
ORAÇÃO PELA SAÚDE DO POETA @poetamilnovo.

Olhamos para a lama ou para as estrelas?

 
“Dois homens olharam através das grades da prisão; um viu a lama, o outro as estrelas”. Santo Agostinho

Em qual direção está o seu olhar? Todos os dias antes de me levantar eu sei que um novo dia me espera. Não sei o que me reserva esse dia. Muitas coisas podem acontecer. Coisas boas e coisas ruins. A única certeza que tenho é que preciso estar preparado para enfrentar as dificuldades e me alegrar com as bonanças. Todos nós temos essa oportunidade todos os dias. A diferença está nas nossas atitudes.

Santo Agostinho afirma que “dois homens olharam através das grades da prisão: um viu a lama, o outro as estrelas”. Essa frase nos faz pensar em nossas escolhas. Por isso vemos pessoas que só sabem reclamar das situações. Nada está bom para essas pessoas. Se chove está ruim, se faz sol não está bom. Difícil conviver com pessoas assim. Por outro lado, tem pessoas que sabem agradecer. Se chove ele agradece pela chuva, se faz sol ele agradece pelo calor. São diferentes olhares de um mesmo ponto em comum.

Não permita que o desânimo destrua sua paz. Acredite que o dia pode ser maravilhoso apesar dos sofrimentos. O Apóstolo Paulo escrevendo aos Romanos afirma: “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”. Romanos 8:28.

Que Deus em Cristo possa nos ajudar nas nossas escolhas diárias. Que não sejamos mal agradecidos sobre as coisas que acontecem conosco. Deus tem um propósito na vida de cada um de seus filhos. José, ao ser vendido como escravo pelos seus irmãos não imaginava o plano de Deus em sua vida. Passou pelo que tinha que passar. José viu as estrelas e sabia que Deus era com ele. Quantos que olham para a lama, a sujeira desse mundo e suas vidas parecem não fazer sentido nenhum. Veja como está sendo o seu olhar.

Podemos optar em seguir o conselho de Santo Agostinho. “Ama e faz o que quiseres. Se calares, calarás com amor; se gritares, gritarás com amor; se corrigires, corrigirás com amor; se perdoares, perdoarás com amor. Se tiveres o amor enraizado em ti, nenhuma coisa senão o amor serão os teus frutos”.

Odair José
Poeta e Escritor.

Ver mais em www.meutestemunhovivo.blogspot.com.br
 
Olhamos para a lama ou para as estrelas?

Afinar a Humanidade

 
 
Que seria da afinação, sem a desafinação? Seria o mesmo que o doce sem o azedo... ora a vida assim é também: que seria dela sem momentos de tristeza? Uma seca! Nunca estaríamos desejosos por dias de alegria. Mais importante: que seria do amor sem paixão?
Mas, mais severamente, que seria da Paz sem guerra? Ora, meus amigos, seria melhor que amor, paixão, doce, salgado ou azedo, que afinação desafinada, alegria triste.
A maior desafinação é realmente a guerra: além de ser aberrante, não prepara afinação ou nada de Belo, pois antes do "Espectáculo" acaba com o público, os actores, músicos, artistas.
Mas, meus ainda mais que queridos amigos: pior que a guerra é o espectáculo que dela fazem os Media, fazendo parecer os " reality shows" obras de arte de rua, e da pornografia política, sexual e social vitórias de "óscares", Pulitzers,
Não se iludam.... pior que a declarada guerra é aquela que nos injectam como publicidade, telenovelas diárias, programas matinais onde num país de quatro canais de tv abertos, em todos se " discute" os " males da sociedade", chegando-se ao limite de explicar a quem os vê/ouve, a minuciosa arte de matar, trair, prostituir, fazendo cada dia que passa " só mais um" dia de aprendizagem de " como se faz um assassino".
Na habitual conclusão, resumo: O Homem já está a ser treinado/ensinado a sentir a guerra, a dor, a tristeza, banalidades como comer um gelado ou deitar fora comida dos excessos, a natureza do dia a dia.
Síntese: Não temam os guerreiros, antes temam os lobos escondidos debaixo da pele de carneiros.
Em português claro: lutem pacificamente contra a a vulgaridade da maioria dos programas de televisão, das falsas revistas ( instrumentos de lavagem ao cérebro) que somente nos querem fazer acreditar que a roupa, o cabelo, os automóveis, os concursos fictícios de beleza ( magreza) são o verdadeiro sentido da vida.
Aceitem o meu conselho: leiam bons livros, vejam BONS filmes, ouçam boa música, visitem museus, convivam com os vossos vizinhos, sejam solidários activos, e mandem as empresas de Comunicação à merda, porque é para lá que elas, o Poder governante e oposicionista nos querem levar, distraindo-nos do nosso Dever como herdeiros do Mundo que ainda sobrevive aos atentados e feridas que lhe abrem os poderosos: estejam Alerta e pensem com a cabeça, sintam com o coração e uma ou outra vez, unam as duas mãos e rezem pedindo auxílio ao nosso/vosso Deus seja Ele quem for: Maomé, Deus, Buda ou José, para que nos ilumine o Bom caminho e porque não pedir/rogar que no ajude a reconhecer as nossas falhas ou faltas para subirmos um degrau no Humanismo, rectidão e Santidade ( não temam o termo nem a essência) da qual fomos feitos e da qual cada dia mais nos desviamos.
Que esta sexta feira seja "doce", não tenha muito " salgado" e a "refeição" que nos seja apresentada se não estiver a nosso gosto, nos faça lembrar daqueles que nem uma migalha de pão têm para provar, ou uma gota de água para matar a sede.
Perdoai-me amados amigos por nos fazer lembrar que todos somos livres, mas essa Liberdade contém em si mesma a responsabilidade de fazermos cada dia que vivamos nesta bola azul um novo dia de esperança construindo pontes entre nós, com Deus ou o Cosmos como padrinhos deste "casamento" que sendo verdadeiro e vivido na sua plenitude nos levará sem dúvida a um Mundo melhor para os nossos filhos, pais dos nossos netos, pais da gente que um dia nos condenará pelo mal que fizemos, ou nos elevará e agradecerá pelo Bem que no mínimo tentamos realizar.
Bem Hajam e aceitem desde já o meu pedido de desculpa pelo que não vos agrado, sonhando que esse Perdão me dará energia para me melhorar como ser humano, obra de um Ser que só pode ser o Amor que sei será sempre o nosso sonho realizado na felicidade dos nossos sorrisos, na paz no Mundo e na Alegria das crianças, ser em quem a nossa inspiração deveria ir beber a essência da Humanidade

Delfim Peixoto © ®
 
Afinar a Humanidade

Quem é o Inimigo?

 
Quem é o Inimigo?

São tão comuns os traumas que ferem as famílias de um modo geral, no mundo todo, em todas as épocas, que vem bem a calhar uma pergunta ao mesmo tempo simples e insidiosa: quem, afinal, é o nosso grande inimigo?

Não, não vamos entrar na contenda filosófico-ocultista do conceito de "Bem X Mal"... Essa deliciosa polêmica é até mesmo de reluzente interesse para os estudos a que nos devotamos. Mas fiquemos, aqui e agora, no terra-a-terra das circunstâncias humanas que habitam nossa Vida sem exceções. Sejamos simplistas sem perder o senso crítico e objetividade.

Se imenso é o número de pessoas afetadas --- e hoje mais do que nunca --- pelos males da depressão, ansiedade, estresse, síndrome do pânico, labilidade emocional, síndrome de Burnout, não menos expressivo é a quantidade de pessoas que a Vida, nos moldes em que as relações familiares se desenvolveram hodiernamente, mantêm na mais danosa imaturidade mesmo após o terceiro ciclo setenário de sua existência.

Vamos nos ater ao geral, ao comum, garantindo uma meditação válida para a maioria dos casos. Exceções sempre existirão.

Nas famílias de mais baixa renda os adolescentes costumam envolver-se com o desencanto que a precariedade financeira lhes traz à experiência. Continua o jogo de futebol com os colegas. Às vezes, jogam vôlei ou basquete, mas o futebol ainda é a preferência. Em cada casa, normalmente sem acabamento externo, com móveis simples e apenas os indispensáveis, há um televisor moderno que, de alguma forma, lícita ou não, recebe o sinal dos mais variados canais a cabo. Deixam a meninice para trás com a crescente certeza de que há mesmo um mundo diferente daquele em que vivem, com mais prazeres, com mais beleza, com miríades de divertimentos, smartphones, tablets, computadores, estações de jogos e jogos cada vez mais sedutores, com gráficos perfeitos. Há também toneladas de filmes que, na ausência de outros elementos de convencimento, incutem na mente jovial a convicção de que existe um autêntico glamour na ilicitude de quem vence um certo "sistema" e arrebata para si os "ganhos sociais" que uma tal de "elite" vem lhes roubando desde os tempos de seus avós. Não, ainda há mais tempo!

Se a classe social desses jovens coincidir com os arrabaldes de uma metrópole putrefada de drogas, prostituição, furtos, roubos, e imposição de poder por mera violência, o resultado costuma ser o voluntariado operoso pela militância criminosa. Pés em chinelos de tiras, bermudas abaixo do joelho e grandes bolsos, camisetas sem mangas, bonés, compõem o fardamento de um exército sob rigorosa disciplina de jovens alguns poucos anos mais velhos. Sorrisos largos e olhos desafiadores são fotografados com um fuzil de assalto com bandoleira e carregador extendido, na típica pose dos que encontram alguma "dignidade" e espírito de corpo. São as falanges, comandos, enfim, entes coletivos estruturados para as estratégias de recuperação dos valores que as elites esbulharam sob o mais terrível mal a se combater: os criminosos de colarinho branco, ou seja, todos os "ricos" que existem, todos envolvidos no esquema de exploração da população espoliada.

Com uma veemente certeza de que a vida é exatamente assim, os adolescentes não conseguem ouvir a triste ladainha dos velhos de sua casa que, como efeito do medo deformante causado pelas elites, não podem mais ser levados a sério, senão como um cenário comum que, segundo todos os demais jovens reportam suportar, somente causa idêntico sofrimento em seus lares. "Pô, que saco!".

Mais uns poucos anos de interação com esse mundo de possível reconquista e duas possibilidades se abrem. Ou a história termina sob um petardo certeiro de um fuzil carregado por um bem treinado militar policial, ou a história prossegue e o jovem é promovido, passando a ter mais e mais envolvimento com o sistema paralelo que constitui a sociedade em que vive: o crime organizado. Mas então já não está com tanta certeza acerca dos motivos que enobrecem sua guerra de reconquista. Sem tecer comentários, vai se dando conta de que, afinal, é o que é, um bandido, um delinquente, uma pessoa que a esmagadora maioria do restante da imensa cidade considera apenas como um malfeitor que merece mesmo ser abatido a tiros pelos homens fardados.

É ainda de pouca idade, porém já está até a raiz dos cabelos aprisionado no piche da criminalidade. Se tentar simplesmente sair do "esquema", seus próprios companheiros não hesitarão em exterminá-lo. A ladainha dos velhos é relembrada com mágoa, já que continua sentindo-se uma "vítima" da falta de oportunidades e ausência de uma eficaz boa orientação. Se continuar vivo mais alguns anos, com certeza já não pensará nesses aspectos "menores e pueris da existência".

Toda essa saga poderia ser reescrita com fácil adaptação para jovens oriundos de lares muitíssimo mais confortáveis e famílias com oportunidades concretas de autorrealização. Paradoxalmente, esses adolescentes deixam aflorar em si mesmos uma noção, quase nunca sequer sugerida por seus pais, de que o mundo é assim desde sempre. A humanidade não mudou nada desde que surgiu, apenas conquistou mais tecnologia. O mundo é dos espertos, consoante uma deformada releitura do Neodarwinismo. Mesmo desconhecendo Nietzsche (ou até por "conhecê-lo"), concebem-se como super-humanos que têm o dom natural de impor-se, vencer, conquistar. Evitam, igualmente, ouvir os mais velhos de sua família temendo-lhes a obsolescência, chaga que lhes causa aversão e medo, como se fosse altamente contagiosa.

Não se preocupam com conceitos como "justiça social" ou "igualdade de oportunidades", tampouco "meritocracia". A meritocracia deles é a capacidade de atingir os objetivos seja como for, passando por sobre quem e o que for necessário.

Enfim...

Juntamente com a evolução e eliminação de conceitos machistas, houve a dissolução, como efeito colateral, daqueles deveres de cooperação com o ente familiar. O rapazinho e a garota passaram a se ver como projetos de si mesmos sob o débito absoluto de apoio dos pais, independentemente da concordância deles com esse ou aquele caminho adotado. Alguns chegam a sentir-se no "direito" de ser financiados integralmente nos festejos norturnos, nas rodadas de noite afora por toda a madrugada. Sorriem ao ver a preocupação patológica dos pais.

Não são poucos os pais que sabem que isso tem sido assim há alguns anos.

Contudo, há também adolescentes que, independentemente de pertencerem a esse ou àquele segmento da sociedade, observando o mundo exibido nos televisores não chegam necessariamente a concepções jihadistas de reconquista ou de mera tomada à força das coisas que deseja. Tampouco acham que o mundo pertence aos mais fortes, sob quaisquer preços ou meios.

Voltemos um pouco a tempos idos.

Nos séculos anteriores o rapaz desde seus catorze ou quinze anos já passava a sentir parte do peso das responsabilidades de seu lar. Além do estudo (para os poucos que podiam estudar além da formação mínima), o jovem se via envolto nas ações de manutenção da casa. Garotas ajudavam suas mães consoante a cultura então vigente dos "serviços femininos", enquanto os meninos estavam sob a fiscalização e cobrança dos pais, mantendo a grama aparada, as calhas limpas, o lixo recolhido e levado a destino, os pequenos consertos que portas, portões, armários e estruturas menores demandavam. Alguns, inclusive, se aventuravam por pequenos ajustes nos circuitos elétricos domésticos.

Há ainda quem bem se lembre que, um dia, já foi assim. Tal postura, guardadas as devidas proporções e as modificações sadias que a evolução certamente traria, com a diminuição dos preconceitos, é o que ocorre em poucas famílias hoje em dia. Depende do bom senso maior das pessoas que compõem o ente familiar.

Nessas famílias, bem menos numerosas, garotos e garotas cooperam com o esforço quase sempre extenuante de pais preocupados, carinhosos, mas muitas vezes ocupados demais para demonstrar todo o amor que nutrem por seus jovens filhos. Nem por isso tomam-se de revoltas pasteurizadas sob embalagens vendidas a preços módicos. Esses jovens dão mais atenção aos momentos de alegria no lar, deixando como meros infortúnios os instantes de dor pelas rusgas ainda onipresentes em qualquer grupo humano.

Chega... Já podemos formular uma outra pergunta insidiosamente preparatória para o tema inicial deste texto.

Como deixamos que a regra se tornasse exceção?

Não creio que alguém tenha uma resposta simples para isso. Impotência, desleixo, ignorância, descuido na absorção pelos combates comuns do dia a dia... Na verdade, nada parece responder adequadamente porque há uma mistura de causas que se alternam ou concorrem conforme o tempo passa.

Mas, sim, o fato é que nós deixamos que a regra se tornasse exceção.

Aquele padrão de jovem imbuído de seus deveres perante sua família e na preparação para a vida chega a ser um invejado item no rol dos sonhos de todos os que já vêm os primeiros sinais de desvio em seus filhos. Filhos ainda e para sempre totalmente amados.

Todos os bebês, nenéns, pequeninos curumins vão se alterando.

Bem, eu acho que, talvez, essa deformação da família não seja, por assim dizer, "o Inimigo"; porém tenho convicção de que é "um forte Inimigo" de todos os que se colocam na missão de forjar os filhos para a vida.

Como quase sempre, causa-nos desconforto inconfessável a constatação de que nós mesmos colaboramos para que assim o mundo tenha se tornado.

Você já assistiu ao filme "O Advogado do Diabo", com os inexcedíveis Al Pacino e Keanu Reeves? É uma fantasia. É um filme que trata como verdade objetiva a figura de Lúcifer e dos anjos caídos. Mas, ambientando-se na atividade excitante de um grande escritório de advocacia em Nova York, põe o simbolismo, a mitologia do pecado original e tudo o mais sob um roteiro primoroso. É um filme que nos faz pensar. E muito (salvo, é claro, para quem o assiste com senso de mero divertimento destinado ao esquecimento).

Uma das passagens mais interessantes do filme (creio que a mais importante), é o próprio Diabo dando seguidos e maravilhosos conselhos ao noviço causídico, conclamando a muito maior importância da família em cotejo com o extenuante ritmo do trabalho. A decidão tomada em favor da continuidade do trabalho é do noviço, tanto quanto mais ressoam-lhe os bons conselhos. No final do filme é relembrado esse fato pelo Diabo, despertando o noviço para a simples realidade ser seu o livre arbítrio, não dele.

Por que o menciono?

Porque também nós, pais de família, seguidamente damos ouvidos a conselhos da vida que nos soam maravilhosos. A sociedade evolui. As crianças, agora, já nascem falando, são muito mais espertas. Não podemos tratar nossos tesouros, hoje em dia, da mesma forma antiquada e castradora de nossos antepassados. Temos que fazer com que os filhos saibam que somos seus amigos, muito mais do que pais. Temos que torná-los capazes de nos dizer qualquer coisa, mesmo que isso custe toda a nossa autoridade familiar.

São frases que representam valores interessantes. Todavia, muito mais sorrateiramente, são frases que nos tocam o interior com uma deliciosa dispensa de um esforço maior em observar, cuidar, orientar, cobrar, negar e aplicar castigos quando necessário. É uma fórmula alquímica espetacular. Afinal, "é um saco" ter que ficar, depois de tanto trabalho cansativo, percorrendo a longa planilha dos deveres que todos os pais, querendo ou não, têm para com seus filhos.

Estou bem propenso a dar crédito de Verdade com "V" maiúsculo, a essa mensagem escancarada pelo magnífico diabo Al Pacino, sob o olhar quase indefeso de Keanu Reeves. Claro que estar tal mensagem numa sequência de cinema vai trazer a alguns (ou a muitos) um torcer de nariz. Não importa. Ainda acho tão válido como ter lido num livro milenar de sabedoria.

Eis aí o nosso GRANDE INIMIGO.

Somos nós mesmos. Todo o louvor aos que sabem escapar dessa insidiosa forma de autocorrupção por toda sorte de sofismas acalentadores.
 
Quem é o Inimigo?

Oração do indiferentismo

 
senhor,fazei-me instrumento de vossa seriedade, onde houver ódio, que eu leve uma gaivota, onde houver injúria, que eu leve um elefante, onde houver dúvida, que eu leve um urso, onde houver desespero, que eu leve um coelho, onde houver trevas, que eu leve um capado, onde houver tristeza, que eu leve uma minhoca.
oh, mestre! permita que eu procure mais um mandril do que ser consolado, que eu procure mais um crocodilo que ser compreendido, que eu procure mais um mosquito que ser amado, que eu procure mais um babuíno que ser justiçado, porque é tendo um bem-te-vi que se recebe, e é tendo um grilo que se é perdoado, e é morrendo que se vive
naturalmente e sem nada.
 
Oração do indiferentismo

É necessário remover a pedra!

 
Há um provérbio chinês que diz: “Jamais se desespere em meio as sombrias aflições de sua vida, pois das nuvens mais negras cai água límpida e fecunda”. Esse provérbio deixa-nos uma mensagem de otimismo e confiança. As dificuldades sempre virão e os obstáculos fazem parte do nosso crescimento. Mas, uma coisa que dificulta, e muito, alcançarmos a vitória é pensarmos que tudo tem que ser feito por Deus. Se Deus quiser é uma frase corriqueira que nem nos atentamos em saber seu significado. Quero nestas linhas tecer um comentário sobre a pedra no caminho da vitória.

Texto completo em www.meutestemunhovivo.blogspot.com.br

Odair José

http://meutestemunhovivo.blogspot.com.br
 
É necessário remover a pedra!