https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Introspecção

 
Me calo diante das possibilidades
quando as vertigens vêm e vão,
meus desregrados pensamentos...
Me calo quando não há chance
alguma, quando não há sombra
debaixo desse sol e quando
o sol se põe
e a lua é coberta
por nuvens cinzentas.

Me calo diante do copo de cerveja
vazio no boteco da esquina,
eu simplesmente me calo...
Não fecho os meus olhos
para o mundo, mas me calo convicto
quando tenho o mundo diante de mim.
E o mundo
me devora calado
e consciente.

Mas calado, assim, a observar a tudo
faço minha voz ébria rouca ressoar
na textura da uma folha de papel.

E assim, nasce mais um poema.


Flanando no Centro de São Gonçalo à noite, 22 de setembro de 2009.


 
Autor
RomuloNarducci
 
Texto
Data
Leituras
611
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
shirley
Publicado: 03/07/2010 19:31  Atualizado: 03/07/2010 19:31
Da casa!
Usuário desde: 22/06/2008
Localidade:
Mensagens: 351
 Re: Introspecção
Há tantas coisas que nos calam, e aos poetas restam um alento, os poemas falam por nós. Beijos