https://www.poetris.com/
 
Mensagens -> Amor : 

Nasce e... empobrece

 
Queria que me amasses como antigamente...
Como na altura em que um beijo era sempre pouco...
Em que um dia era insuficiente e passava num ápice quando estavas comigo...
Em que adormecias tarde pensando em mim e acordavas cedo para estar comigo...
Em que choravas na carruagem do comboio por te levar para longe de mim...
Onde sempre que os nossos olhares se cruzavam esboçavas um sorriso terno de felicidade...
Em que cada vez que falavas em mim as palavras transportavam o peso dos teus sentimentos...
Em que jogavas com tristezas fingidas para captares a minha atenção...
Em que derramavas uma lágrima doce ao observares-me enquanto dormia...
Em que olhavas para mim com respeito e profunda admiração...
Em que volta e meia contigo própria, davas graças da sorte que acreditavas ter...
Em que fazer amor comigo era o auge da nossa paixão...
Em que nos teus pensamentos de futuro eu não existir era inimaginável...
Em que o teu mundo era eu e tudo mais era efémero...
Em que o amor era uma realidade e não algo que se sonha numa vida...
Sim... como eu queria que ainda me amasses assim...

 
Autor
gera
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1269
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
3
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
InSaNnA
Publicado: 19/09/2006 14:09  Atualizado: 19/09/2006 14:09
Membro de honra
Usuário desde: 08/05/2006
Localidade: Brasil
Mensagens: 229
 Re: InSaNnA para Gera
Oie poeta !! Como vai?? Quando algo não anda bem,um sente,um reclama..O que houve?eu me acostumei com o amor,ou ele que se acostumou comigo?E assim,tudo muda,o brilho apaga..uma alma sente e implora o que já tinha ido embora,que só agora,cega,percebe..Adoorei..Muito bom!Beijos na sua alma de poeta!


Enviado por Tópico
jsaugusto
Publicado: 02/05/2011 17:19  Atualizado: 02/05/2011 17:19
Da casa!
Usuário desde: 12/02/2011
Localidade:
Mensagens: 425
 Re: Nasce e... empobrece
belas palavras adorei seu poema!