https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Reflexão : 

Lágrimas de emigrante

 
LÁGRIMAS DE EMIGRANTE



Nos braços duma quimera
Converti-me em emigrante,
Ganhei a saudade austera
Que me abraça a cada instante.

Ao partir ao Deus dará,
A minha aldeia deixei
E ninguém hoje saberá
Quando eu lá voltarei.

Tendo o Céu como parceiro
Nesta minha grande empresa,
Sou um pobre mensageiro
Da cultura portuguesa.

Assim ando vagueando
Pelos trilhos que Deus quis,
Nesta vida caminhando
A clamar o meu país.

Sem juiz fui condenado
Como um dia o foi Jesus,
Sigo sempre carregado
Com o peso da minha cruz.

Como um ser que hoje tem
Um fado em cada esquina,
Não torno culpas a ninguém,
Esta é bem a minha sina.

Essa mesma que um dia
Me trocará a vida errante
Por uma grande alegria,
De não mais ser emigrante.

Rama Lyon

 
Autor
RAMA.LYON
Autor
 
Texto
Data
Leituras
965
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
2
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
JBMendes
Publicado: 13/10/2010 14:14  Atualizado: 13/10/2010 14:14
Colaborador
Usuário desde: 13/02/2010
Localidade:
Mensagens: 5222
 Re: Lágrimas de emigrante
Caro RAMA - Li sua poesia e gostei do conteúdo e da simplicidade. As coisas simples sempre comoventes.
Um abraço fraterno
JBMendes

Enviado por Tópico
Carlos D
Publicado: 13/10/2010 14:41  Atualizado: 13/10/2010 14:41
Da casa!
Usuário desde: 05/07/2007
Localidade:
Mensagens: 263
 Re: Lágrimas de emigrante
Somos um País de emigrantes e de conquistadores, a minha saudação a todos os emigrantes.


um abraço