https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Dedicatória : 

CEUS DE POBREZA...tempos a preto e branco

 
Tags:  amor    saudade    sonho    silêncio    terra  
 
Open in new window

Poema dedicado à minha terra,à memória dos meus, ao meu rio, ao meu chão.





EM CÉUS DE POBREZA














Ouço no silêncio da noite, um ruído seco
O vento roubou-me a voz.
Levou-a a alguma viela, algum beco
Da minha terra, da terra dos meus avós.
Por lá ficaram os pássaros de vigia
E eu menina de pés imersos
Esquecida da fadiga
Olhos sem medo, vazia a barriga
Colhendo o sol do dia,
Fazendo versos.

Fiozinhos da nascente
Orvalhados de limpidez
Por lá me fiz gente
Madura de suor e altivez.

Este ruído seco, não me sai da cabeça
Provoca-me e eu parto sem freio,
Antes que a memória amadureça
E me visite a escuridão
Volto sim, minha terra ao teu seio!
Colher papoilas e pão.

Hoje é dia de vendaval
O vento roubou-me a voz
Sou resto de temporal
Menina , trança, tristeza
Desato da vida os nós
Já fui pássaro de leveza
Em terra dos meus avós.

Fico à escuta de tudo e de nada
E nesta minha ingenuidade
Trago a infância atravessada
Na chama desta saudade.


rosafogo
natalia nuno


Na plenitude da felicidade, cada dia é uma vida inteira.
Johann Wolfgang Von Goethe



 
Autor
rosafogo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1750
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
9 pontos
9
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/12/2010 17:18  Atualizado: 08/12/2010 17:18
 Re: CEUS DE POBREZA
Belo mui belo, fechou com chave de ouro.

Um beijo para poetisa Rosa



Rosangela

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/12/2010 17:35  Atualizado: 08/12/2010 17:35
 Re: CEUS DE POBREZA
Cara poetisa Natalia, este poema emociona pelas belas imagens e as recordações... Gostei muito, meus parabéns. Abraços Alice

Enviado por Tópico
JOSÉMANUELBRAZÃO
Publicado: 08/12/2010 17:39  Atualizado: 08/12/2010 17:39
Colaborador
Usuário desde: 02/11/2009
Localidade: Lisboa, PORTUGAL
Mensagens: 7775
 Re: CEUS DE POBREZA
De facto tens um estilo que te marca. Poema da Natália.

Beijo do ZÉ

Enviado por Tópico
MarisaSoveral
Publicado: 08/12/2010 18:00  Atualizado: 08/12/2010 18:00
Colaborador
Usuário desde: 16/08/2010
Localidade: Porto
Mensagens: 621
 Re: CEUS DE POBREZA
Olá querida Natália,
Um belo poema de saudade! Gostei muito de:

Fico à escuta de tudo e de nada
E nesta minha ingenuidade
Trago a infância atravessada
Na chama desta saudade.

A infância, os protagonistas da nossa infância, os sítios, os afectos...são tudo coisas que trazemos atravessadas!...
Beijinhos,
Marisa

Enviado por Tópico
PMD
Publicado: 08/12/2010 20:47  Atualizado: 08/12/2010 20:47
Participativo
Usuário desde: 05/07/2010
Localidade:
Mensagens: 13
 Re: CEUS DE POBREZA
De facto nota-se a grandeza do poeta pela sua escrita.
Belo poema.
Bjs em seu coração.

Dusilek

Open in new window

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/12/2010 22:33  Atualizado: 08/12/2010 22:33
 Re: CEUS DE POBREZA
Ola Natalia, a imagem de "colher papoilas e pao" gravou-se na imaginacao quando li! Gostei muito do poema dedicado a sua terra! Beijos!

Enviado por Tópico
Angela.Rolim
Publicado: 08/12/2010 23:18  Atualizado: 08/12/2010 23:18
Colaborador
Usuário desde: 11/11/2010
Localidade:
Mensagens: 1162
 Re: CEUS DE POBREZA
A mágica lembrança da menina e as reflexões da sábia mulher, cuja pena nos agracia com mais este soberbo poema! Deixo-te um abraço!

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 09/12/2010 00:12  Atualizado: 09/12/2010 00:12
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 15149
 Re: CEUS DE POBREZA
Como é bom vir até aqui para beber de ti, poetisa amiga! Tua escrita tem a suavidade que eu preciso e o sabor que eu quero. Deliciosa leitura que me mostra um pouco mais de ti, amiga. Beijinhos meus que te toquem, Rosa. Até a próxima leitura, poetisa!

Enviado por Tópico
Branca
Publicado: 20/07/2015 14:21  Atualizado: 20/07/2015 14:21
Colaborador
Usuário desde: 05/05/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 2988
 Re: CEUS DE POBREZA...tempos a preto e branco
Natália, que maravilha de poema, onde derramas teu coração.
Cheio de saudade... vejo a pequena menina de tranças com olhos brilhantes.
Fica meu abraço pra ti.
Parabens.
Branca.