https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

A M I G O - LIZALDO VIEIRA

 
A M I G O – Lizaldo Vieira
É muito caro
É um bom cara
É meu amigo
Tá na canção da América
Morando ao lado do peito
Também cantado pelo Roberto
Amigo de fé
Irmão camarada
O amigo é assim
Personagem enigmático
Arvore dos bons frutos
Pronta para semeiam boas sementes
Vida vai
Vida que vem
Sempre disposta alegra-se
De contente
Por irradiar a justa amizade
Servindo de luz
Para guiar-nos pros caminhos da esperança
Ensinando
Animando
Consolando
Apoiando
Na sua transmitindo de segurança
Inspira
O bom amigo é esse ser que
Inspira confiança
Nas poucas palavras
Conversada para alguém
Sempre o contamos na medida certa
Nos momentos inesperados
Também se vale da prosa
De um bom papo
Que anima na tristeza
Não ignora
Se alguém chora
Se lhes fazem consulta
É só escuto
Pau pra toda obra
Jóia rara e cara
Presente de toda vida
O amigo verdadeiro não enrola
É porto seguro
Consola
Não manda recado
Vai ao encontro
Faz-se ponto de luz
Que Irradia
Feito sol das manhãs
De primavera
De todos os dias
O Sujeito amigo
É tudo isso
E muito mais que palavra morta
No dicionário
Pode ser que nem
Algo que já não valorizamos tanto
O restinho de perfume do ano passado
A velha roupa desbotada
Ou aquele nosso velho lugar
Já há tanto tempo no esquecimento
Ser bom amigo
É como o bom craque
Apesar nas pernas cansadas
O tempo não para de registrar


Q U E S E D A N E C U S T O d e V I D A - Lizaldo Vieira
Meu deus
Tá danado
É todo santo dia
O mesmo recado
La vem o noticiário
Com a
estória das bolsas
Do que sobe e desce no mercado
De Tóquio
Nasdaq
São paulo
É dólar que aume...

 
Autor
Lizaaldo
 
Texto
Data
Leituras
1378
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.