https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Quando os cristais tinirem

 


Quando os cristais tinirem na limpidez da manhã, recém-despertada pelos calorosos raios de Apolo, senhor do meu capricho, conhecerás o efeito do amor consumado na minha voz, durante as horas aprazíveis da madrugada.

Ousa, poeta, amar na noite das palavras o corpo voluptuoso do perfume da Poesia extasiante dos teus sentidos!

Sentirás as carícias cálidas dos meus beijos matutinos de luz diáfana, ao nascer da eternidade.




Sou divina e imortal

 
Autor
Erato
Autor
 
Texto
Data
Leituras
411
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.