https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Ao som da tua poesia

 
Existe um punhado de palavras soltas
Que deixam um silêncio enternecedor no meu peito
Palavras que se entrelaçam nas tuas
Deixando o verso completo e o poema cheio de nós

Solta-me o silêncio da palavra e canta!

Existe um fio de pensamento que me inquieta
Que se entende para lá daquilo que pressinto
Pensamento que se salva num poema teu
Libertando-se na lembrança de quem sou

Inquieta-me o pressentimento de não ser quem fui…

Existe um calor nas minhas mãos pela vontade de escrever
Que seca por um receio, um abismo, um passado qualquer
Calor que cresce ao som da tua poesia
Mãos que acolhem os versos de outrora com alegria

Renascem-me as mãos pela vontade de escrever ao som da tua poesia.

 
Autor
Tália
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1625
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
6
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
JPAnunciação
Publicado: 19/09/2013 15:21  Atualizado: 19/09/2013 15:21
Luso de Ouro
Usuário desde: 18/06/2008
Localidade: Évora / Lisboa
Mensagens: 250
 Re: Ao som da tua poesia
Vanda,
O que dizer quando a poesia se faz assim. Um cântico que nos deixa a ecoar no nosso silêncio e um desejo de o ouvir face a face, pela cadência que nos sugere.
Aqui, neste seu poema, "Renascem-me as mãos pela vontade de escrever ao som da tua poesia."

Um beijo grande,
João Paulo


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 19/09/2013 19:46  Atualizado: 19/09/2013 19:46
 Re: Ao som da tua poesia
olá, Vanda. '...Palavras que se entrelaçam nas tuas
Deixando o verso completo...'...é o que entendo como a chave do poema. ficou muito bom. parabéns.


Enviado por Tópico
martims
Publicado: 20/09/2013 01:17  Atualizado: 20/09/2013 01:17
Colaborador
Usuário desde: 12/08/2013
Localidade:
Mensagens: 6753
 Re: Ao som da tua poesia
Palavras que se enaltece, que se ereplandecem nas magias dessa belíssima escrita se formalizando-se encanto versos. Em som fonéticos renascem os belos escreveres