https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

AUTOCRÍTICA

 
AUTOCRITICA

Observando as pessoas que amo
Percebo falhas na minha obsessão ocular
Trazendo tenebrosos erros incalculáveis
Não corrigidos e nem recicláveis

Falhas que se eternizam no tempo
Esquecidas e deixadas a meros desleixos
Proveniente de virtudes jogadas ao vento
Na conquista dos acasos sonolentos.

Moldar-se em favor de uma sociedade
Na qual se parece enfeitiçada e armazenada
Dentro de um palco ilusório e bem notório.

Sinto que preciso de uma conquista
Para não viver na aparência de quem acertou
Tentar corrigir falhas que por mim apagou

 
Autor
selda100
Autor
 
Texto
Data
Leituras
574
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.