https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

E quando não fores mais um lugar a descobrir

 
e quando os teus braços, outra vez braços
desconfortáveis por serem úteis na leveza
desprovidos do toque que os tornava regaços
se há chuva não cobrem, se há vento, incerteza

que farei quando as tuas palavras, só palavras
massacradas de serem ditas vezes sem conta
que de tantas vezes correctas se fazem erradas
a palavra que ajudou a construir, só desmonta

e quando os teus cabelos, simplesmente cabelos
as tuas mãos entediosas de serem mãos, somente
e os teus beijos aborrecidos de serem novelos
de nós apertados por uma insegurança doente

e quando não fores mais um lugar a descobrir
maior que o céu de onde tenho medo de cair
e quando perder o medo das grandes alturas
as vertigens de quando me olhas às escuras

que faremos quando formos tédio e televisão
quando olhar para nós for matéria de desilusão
como será descobrir que já fomos descobertos?

é como estar perdido e mesmo assim termos noção
(além da que nunca mais podemos ser redescobertos)
que todos os teus caminhos são correctos, mas incertos

José Correia

 
Autor
JoséCorreia
 
Texto
Data
Leituras
1119
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
2
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
MarySSantos
Publicado: 24/03/2014 13:30  Atualizado: 24/03/2014 13:30
Luso de Ouro
Usuário desde: 06/06/2012
Localidade: Macapá/Amapá - Brasil
Mensagens: 5536
 Re: E quando não fores mais um lugar a descobrir
gostei muito! então que deixemos sempre uma carta escondida na manga... ou várias pra que sejam reveladas aos poucos... porque é muito triste deixarmos de ser novidade. (digo de nós). acredito que o universo será sempre uma busca infinita...
levei o poema pra mim! obrigado.

bjo.

Enviado por Tópico
RoqueSilveira
Publicado: 20/11/2016 13:03  Atualizado: 20/11/2016 13:03
Colaborador
Usuário desde: 31/03/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 8368
 Re: E quando não fores mais um lugar a descobrir
parece tão fácil escrever tão belo,
abraço José