https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

A Loren estava in

 
a Loren estava in

baixou a alça ao sonho, deixou à mostra um raio de lua
teve na ponta da língua um verbo e um impropério
e sem que ninguém esperasse, tombou como que clave
no hemisfério da banda, que no salão, numa espécie de fosso
era apenas bola de sabão

depois, alçando-se sobre um trecho musical, viu um homem
beijar-lhe as teclas que o piano do seu corpo denunciava
mas não se via na faiança dos sorrisos mais ternos
apenas se conseguia sentir nas mãos armadas da dança

querendo partir ao meio a dor, ficou
cambaleando entre não saber como dizer
e amestrar um raio de sol no peito por abrir
podando o destino com um beijo de espinhos
como que esperando o sangue cair

o homem que nunca a amou, perguntou-lhe fundo
se no preço do serviço, lhe podia armar uma tenda
ser palhaço de circo, imitação de Harold Flynn

respondeu-lhe silenciando o silêncio, num silêncio profundo
e deixou-se levar como Loren in


O meu verdadeiro nome é José Ilídio Torres. É com ele que assino os meus livros.
Já publiquei 10 obras em géneros diversos: crónica, romance, conto e poesia.
Foi em 2007, aqui no Luso, que mostrei pela primeira vez.

 
Autor
SilvaRamos
 
Texto
Data
Leituras
495
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Antónia Ruivo
Publicado: 28/04/2014 17:19  Atualizado: 28/04/2014 17:19
Colaborador
Usuário desde: 08/12/2008
Localidade: Vila Viçosa
Mensagens: 3906
 Re: A Loren estava in
Não sabendo quem se é a escrita revelará subtilmente esse alguém, é só permitir que flua.
Gostei do poema.