https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

No Céu Da Tua Boca

 
No céu da tua boca
Luziam mil estrelas
Parecidas pirilampos
Vadiando pelos campos.

Teus lábios vermelhos
Eram minha perdição
Também eram os cabelos
Que caíam em nós, novelos ,
Que quase tocavam o chão.

Os olhos baixos, a noite escura
Quando subiam as pálpebras
Pareciam que eram duas luas
Cheias de belezas e de canduras.

Quando meus olhos viam o colo
Se agigantavam, viravam espelhos
Reverberavam os rosados dos seios
Percorrendo todo corpo até o solo.

Perscrutando todo aquele relevo,
A geografia envolta em curvaturas
Fazem os versos que eu escrevo
Parecer dotados de temores e ternuras.

Auscultando ao redor do ambiente
Penetrando o meu no teu coração
Que,em uníssonos, batem presente...
Toco, no céu da boca, tua constelação.




Gyl Ferrys

 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
663
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
18 pontos
6
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
JuRvida
Publicado: 14/09/2014 16:12  Atualizado: 13/03/2018 13:56
Colaborador
Usuário desde: 03/11/2013
Localidade:
Mensagens: 718
 Re: No Céu Da Tua Boca
muito criativo,


JuRvida.


Enviado por Tópico
Manufernandes
Publicado: 14/09/2014 23:28  Atualizado: 14/09/2014 23:28
Subscritor
Usuário desde: 09/12/2013
Localidade: Lisboa
Mensagens: 3860
 Re: No Céu Da Tua Boca
Muito bom!
Gosto tanto dos terremotos que
quase me arrependo de não ter continuado
esses estudos e um mestrado a geografia
e a geologia.
A sua facilidade a escrever é fantástica!


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 15/09/2014 00:22  Atualizado: 15/09/2014 00:22
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29389
 Re: No Céu Da Tua Boca
Um relevo esculpido nas instancias geográficas de um corpo, onde as mãos se ocupam de cada pedaço, nos seios refletem o desejo dos mamilos, nas canduras do intenso prazer