https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

O Rato Da Lagoa Da Pampulha

 
Claro, claro, outro rato
Na Lagoa da Pampulha.
Amargo, amargo, um pulha
Se contradizendo no seu ato.

E salta, e chora e pula
Roendo o osso no mato
Com uma ideia feia e fula
Fazendo alvoroço no fato.

Utilizando artifícios, estratagemas,
Faz o que digo que faço, vil palhaço,
Delirando e procurando pelo espaço
Uma forma de decantar-me em poemas.

Ora, se eu prego e ninguém me escuta
Onde mora minha luz nesta escuridão?
Se eu fiz, eu faço e ninguém vê minha luta
Qual o motivo de viver nesta triste... Solidão?


Gyl Ferrys

A Lagoa da Pampulha tem um área reservada para as capivaras que são os maiores roedores do mundo.

Qualquer semelhança com pessoas ou fatos reais pode ser ou não uma mera coincidência.
 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
600
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
5
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 18/01/2016 17:18  Atualizado: 18/01/2016 17:18
 Re: O Rato Da Lagoa Da Pampulha
Pior faz quem fica a espreita nas sombras sempre de tocaia. Peço a exclusão deste perfil (gyl) por fomentar a discórdia entre os usuários.

Leia mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=304615 © Luso-Poemas