https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Embaralhadas linhas do zodíaco

 

Quando o zodíaco dança baralhando linhas,
criador cego está perdido num novelo bizarro.
Pessoas não podem ser esculpidas à madrinha,
como outra vez tomasse um Deus do barro.

Há de haver na matéria a alma aprisionada,
conhecer adrede a recepção da convivência;
de repente passar voando pela noite calada,
provar das fragrâncias em leda aquiescência.

Nem graves erros não fazem do sábio o tolo,
mesmo atravessado por milhões de quilovates,
esqueci-me sobre dizer a ser mais um consolo.

Pairando sobre cabeças arrancam a inocência,
dificilmente irão aquecer a cama tais quilates,
até do barro poderá advir a luminescência.


 
Autor
ReflexoContrito
 
Texto
Data
Leituras
289
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
22 pontos
2
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
erro
Publicado: 11/07/2017 20:24  Atualizado: 02/01/2019 15:46
Colaborador
Usuário desde: 04/03/2016
Localidade:
Mensagens: 845
 Re: Embaralhadas linhas do zodíaco
gostei

Enviado por Tópico
Chou
Publicado: 24/03/2020 09:20  Atualizado: 24/03/2020 09:20
Colaborador
Usuário desde: 01/02/2017
Localidade:
Mensagens: 535
 Re: Embaralhadas linhas do zodíaco
Citando:
Nem graves erros não fazem do sábio o tolo,

Leia mais: https://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=312996 © Luso-Poemas