https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

geografia da ausência

 






quando me falas na partida
sinto a distância como mármore

e no cinzento do olhar
vejo a mágoa do Inverno.

A saudade alonga-se,
alonga-se com a presença da partida
com linhas e frio dos pólos
revelas a geografia da ausência.
















Zita Viegas















 
Autor
atizviegas68
 
Texto
Data
Leituras
373
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
9
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 28/08/2017 10:39  Atualizado: 31/08/2017 13:21
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1874
 Re: geografia da ausência
Ausência muito polar.
Poema duma aridez completa.

Começas no alvo mármore no segundo verso, para nos colocares nesse lugar isolado.
O cinza, mais um reflexo do frio após o fogo.
E o inverno. Não o chuvoso, esse ainda nos traz a humidade e a água, mas novamente o frio.

É, a ausência provoca um frio inefável em algum lugar que muitos chama de alma, eu talvez o chame de humor.

Seco o teu poema.
O inferno é uma solitária na Sibéria. Sem água e bolor cheio de pão.

Bj


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 03/09/2017 23:42  Atualizado: 03/09/2017 23:42
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29439
 Re: geografia da ausência
O vazio é um estado demográfico que faz o nosso oceano chorar


Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 02/04/2018 13:34  Atualizado: 02/04/2018 13:34
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16667
 Re: geografia da ausência
Zita
Belo e sentido! Parabéns!
Beijos!
Janna