https://www.poetris.com/
Poemas : 

Mudez

 
Que tarde calma, densa, sem raiar!
Donde será que vem tal calmaria?
Parece até que mudo está o mar,
Que cessou de uma vez a ventania...

S(c)em pássaros passando, cortando o ar.
Nem ao menos nos canta a cotovia.
(Meu pensamento está noutro lugar
No sonho que sonhei estavas um dia...)

Porém alguma coisa morre sim, arde
Ao ver monotonia sem um fim
Do mundo sem o dedo de um Deus.

E Cai o sol findando nossa tarde
"As aves não regressam",digo, enfim.
Quebraram a mudez os gritos... meus!


Gyl Ferrys

 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
141
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
0
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.