https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Noites são casas onde as mulheres se demoram

 







Noites são casas onde as mulheres se demoram.
Há paredes e fustes sitiados de rostos. Silêncios aplainados às portas e janelas que guardam os segredos da carne.

Noites são casas que têm mulheres dentro, como escadas que os homens sobem, degrau a degrau.

Noites são casas cheias de estrelas áridas,
paradas nos olhos das mulheres. Têm luzes rachadas, abertas nas faces tingidas de solidão e amargo pudor.

Casas são femininos nocturnos, onde entram noctívagos com olhares selváticos, em agonizante êxtase.

Casas com mulheres que adornam a carne quebrada, o regaço batido e o sono da fadiga.

Noites são casas vestidas de pele que se
cobre de pérolas frias e de correntes
adormecidas no peito.

Casas são noites com mulheres que guardam espadas de amores bárbaros
e na ilharga penduram países, terras
inimigas e cidades longínquas.

Noites são casas onde as mulheres se
demoram para ouvir o tambor que ecoa no
sangue e a ferida que fala com a fome da cura.

Noites são casas onde as mulheres
se demoram como espelhos
contra o tempo da carne.








https://www.blogger.com/blogger.g?rinl ... 677841#allposts/postNum=0


Zita Viegas















 
Autor
atizviegas68
 
Texto
Data
Leituras
489
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
41 pontos
7
1
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 26/04/2018 21:33  Atualizado: 26/04/2018 21:33
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 15068
 Re: Noites são casas onde as mulheres se demoram
Noites, casas, carnes, poemas e poesias! Elementos para exuberante poema. Beijos, Zita!

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 27/04/2018 13:15  Atualizado: 27/04/2018 13:15
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 15943
 Re: Noites são casas onde as mulheres se demoram
Zita
Profundo! Bravo! Levei!

Janna


Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 28/04/2018 14:18  Atualizado: 04/05/2018 09:53
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1576
 Re: Noites são casas onde as mulheres se demoram
Quando são "...as janelas que guardam os segredos da carne..." está tudo estragado...
A mancha gráfica do teu poema, com texto centrado e toda ela ondulando já nos submete à anatomia feminina.
Eu acho todo ele um enorme elogio ao feminino.
Ao dizeres que as "noites são casas em que as mulheres se demoram..." explicas logo o protagonista.
Abusas, com estilo, de várias figuras de estilo. Fértil de metáforas que facilmente pensamos comparações.
Ao longo de cada começo de estrofes, dizes que "noites são casas", mas varias com "casa são noites", sendo elas relacionadas com o feminino sob a forma de abrigo. Das intempéries, do esforço da labuta.
Mas colocas-nos nas várias facetas da mulher, de forma sublime, a que deseja e é saciada e sacia.
"...Casas com mulheres que adornam a carne quebrada, o regaço batido e o
sono da fadiga"
Que forte, intenso e até sensual isto. Que classe!
Tantas e tantas estrofes dignas de referir. Teria que o transcrever.
Por isso te digo que o favoritei.
E também que é por tua causa e mais alguns que vale a pena visitar este site e participar

Abraço cara amiga, irmã de letras...


Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 02/05/2018 21:31  Atualizado: 03/05/2018 09:32
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade:
Mensagens: 1756
 THE GOLDEN JOURNEY TO SAMARKAND (lembrei-me disto)
Samarkand



Na Ágora eles balbuciavam e elas caiavam casas de areia,
Os conquistadores, (excepto os poetas; esses eram justos)
Eles sabiam que o tempo voava, não eu, semilouco:
- (Sei que o deserto, sob as ameias abriga os destroços,

De quando as caravanas cruzavam as dunas,
Com as patas em ferida e sons de sinos de prata
E estendia-se as mãos, para glórias e Messias,
No conforto dos poços, abraçados de palmeiras.)

E os grandes “souks” à beira do caminho,
Eram um formigueiro frenético de povos sob estrelas,
Onde os homens vinham festejar, agora enfim,
Na Ágora, eles esperam e elas tecem saris de branco.

Aqueles eram apenas astros, que uma vez os guiaram
No deserto através de dunas, vergados de seda
Agora sentados nos calcanhares até de madrugada,
Desmontam a alquimia do que outrora eram.


Jorge Santos (12/2010)
HTTP://joel-matos.blospot.com

(Baseado no poema de James Elroy Flecker)
“The Golden Jorney to Samarkand”






James Elroy Flecker


THE GOLDEN JOURNEY TO SAMARKAND

We are the Pilgrims, master; we shall go
Always a little further: it may be
Beyond that last blue mountain barred with snow,
Across that angry or that glimmering sea,

White on a throne or guarded in a cave
There lives a prophet who can understand
Why men were born: but surely we are brave,
Who take the Golden Road to Samarkand.

Sweet to ride forth at evening from the wells
When shadows pass gigantic on the sand,
And softly through the silence beat the bells
Along the Golden Road to Samarkand.

We travel not for trafficking alone;
By hotter winds our fiery hearts are fanned:
For lust of knowing what should not be known
We make the Golden Journey to Samarkand.





Enviado por Tópico
boxer
Publicado: 03/05/2018 09:19  Atualizado: 03/05/2018 09:19
Colaborador
Usuário desde: 21/01/2009
Localidade:
Mensagens: 708
 Re: Noites são casas onde as mulheres se demoram
.
Este poema pertence à raça daqueles textos que parecem escritos desde sempre, com verdades e mistérios universais que nos assombram e desafiam: a mulher, a casa e a noite fundem-se num clarão onde se conjugam os segredos das origens, da intimidade e da eternidade.
Admirável.