https://www.poetris.com/
Poemas -> Humor : 

Uma trova de gaúchos

 
Tags:  humor    desafio    trova    sextilhas  
 


Em um vídeo no youtube
que depois foi retirado
assisti grande peleia
mas deixei tudo anotado
pois a trova dos gaúchos
pode ser do seu agrado

Não sei o nome dos dois
que fizeram a trovação
Era um da velha guarda
e um da nova geração
se medindo em desafio
pra honrar a tradição:

- Com a trova começando
eu aviso meu patrício
faz algum tempo que tu
já não honra teu ofício
Deve aceitar o conselho
que vou dar já de início
reconheça teu fracasso
antes que levar puaço
fique sendo o teu vício...

- Fique sendo o teu vício?
O teu verso é pedestre
mas o meu tem o perfume
da nossa flora silvestre
Sou da escola do Gildo
o rei da trova campestre
Quem a ele conheceu
tá dizendo que sou eu
que faz o que fez o mestre...

- Que faz o que fez o mestre?
Não me venha com mentira
que com tua trova morna
a platéia se retira
Sempre foi um faroleiro
mas agora tu delira
Gildo foi o rei da trova
e tu só vem dando prova
que teu prazo já expira...

- Que teu prazo já expira?
Vim aqui mostrar serviço
Se eu sou novo ou velho
tu não tem nada com isso
Muitas trovas já venci
desde quando era noviço
Mas agora é o inverso
sou o cancheiro no verso
e tu é só um petiço...

- E tu é só um petiço?
Mas já venho no embalo
Trovador que não se rende
pouco a pouco eu encurralo
Sou um petiço ligeiro
que faz errar o pealo
Uma informação te trago
um petiço do meu pago
vence de qualquer cavalo...

- Vence de qualquer cavalo?
Tua idéia é estranha
Eu vencer de ti na trova
não será grande façanha
Nem parece que tu é
um troveiro da campanha
Vou te dar informação
um cavalo em teu rincão
corre com burro e não ganha...

- Corre com burro e não ganha?
Tu tá fora da casinha!
Dez cavalos da tua terra
nem dão um galo da minha
Trovador sabe brigar
como um galo na rinha
Mas contigo é diferente
que quando anda pra frente
sai ciscando igual galinha...

- Sai ciscando igual galinha?
Comigo não é assim
Tem que ter muita coragem
pra pisar no meu jardim
Quem tentou cantar de galo
baixou a crista no fim
Mas tu é um pinto novo
Quem recém saiu do ovo
não pode ganhar de mim...

- Não pode ganhar de mim?
Quando que foi proibido?
Em toda nossa querência
teu orgulho é conhecido
Tu só diz que é o tal
por ser muito convencido
Nessa trova eu destaco
tu só bate no mais fraco
porque é provalecido...

- Porque é provalecido?
Colega, tenha certeza
que se preferir assim
trovo com delicadeza
Mas a minha trova é
uma chama sempre acesa
O teu brilho é opaco
Tu é mesmo o mais fraco
e mostrei tua fraqueza...

- E mostrei tua fraqueza?
Mas sou eu que to batendo
Eu ainda te dou tempo
de sair daqui correndo
Se não quer reconhecer
nem dizer que tá perdendo
vou te dar muito laçaço
Tu levando meu puaço
finja que não tá doendo...

- Finja que não tá doendo?
Isso é muito desatino
Eu já vencia na trova
quando tu era menino
Não conhece o Rio Grande
nem sabe cantar o hino
Chama rancho de tapera
e é isto o que se espera
de gaúcho setembrino...

- De gaúcho setembrino?
Apelou pra gaiatice
Vou agora te dizer
se alguém nunca te disse
que teu verso já está
se apoiando na mesmice
Teu sonho ficou pendente
Quem sonhou ser presidente
não chegou nem a ser vice...

- Não chegou nem a ser vice?
Tu agora te enganou
Eu sonhei ser trovador
e um trovador eu sou
Represento a velha guarda
que antes de ti chegou
Mas pra teu conhecimento
não mostrei nem dez por cento
do que o Gildo me ensinou...

- Do que o Gildo me ensinou?
Tu ficou muito aquém
Tu pensa que me assusta
com a idade que tem
De quem banca de valente
já ganhei de mais de cem
Tá trovando igual guri
e se eu perder pra ti
não ganho de mais ninguém...

- Não ganho de mais ninguém?
É preciso que se diga
tão novinho é já está
dando sinais de fadiga
Tá esperando que a mãe
venha apartar a briga
Tu já tá ficando rouco
e além de cantar pouco
é mais feio que lombriga...

- É mais feio que lombriga?
Tenho opinião oposta
Se tu tem a covardia
ela aqui ficou exposta
Nós já vamos encerrando
como foi nossa proposta
não vou mais te cutucar
que é pra ninguém ficar
sem direito de resposta...

- Sem direito de resposta?
Colega, te quero bem
Tu sabe do meu valor
e eu sei do teu também
Fica o dito por não dito
como já dizia alguém
Só queremos manter viva
nossa cultura nativa
sem zombar da de ninguém!

 
Autor
CarlosAle
Autor
 
Texto
Data
Leituras
125
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
João Marino Delize
Publicado: 31/01/2020 13:32  Atualizado: 31/01/2020 13:32
Colaborador
Usuário desde: 29/01/2008
Localidade: Maringá-
Mensagens: 2859
 Re: Uma trova de gaúchos
Grande desafio. Esse estilo eu ouvia no grande Rodeio Coringa, na Rádio Farroupilha de Porto Alegre no início da década de 60, quando eu era ainda criança. O Programa era comandado por Darci Fagundes e Luiz Menezes.