https://www.poetris.com/
Poemas : 

SOB OS LENÇÓIS

 
Tags:  VILANELAS  
 
SOB OS LENÇÓIS (vilanela)

Pelas brancas manhãs, as nossas peles
Teimam em se roçar sob os lençóis,
Visto se ocultar amores n'eles...

Desejosa antes d'estes que d'aqueles,
Navegavam teus dedos entre atóis...
Pelas brancas manhãs, as nossas peles.

A mim, já não importa o quanto veles,
Sabendo nos teus olhos dois faróis,
Visto se ocultar amores n'eles.

Porém, maravilhosa te reveles
Negando a despertar co'os rouxinóis,
Pelas brancas manhãs, as nossas peles.

Lasso, baixo meus lábios imbeles...
Borrachos de xerezes espanhóis,
Visto se ocultar amores n'eles.

Assim como s'espraia o mar em fróis,
Visto se ocultar amores n'eles,
Resplandeçam co'a luz de dois mil sois,
Pelas brancas manhãs, as nossas peles.

Betim - 20 05 2020


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
34
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
0
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.