https://www.poetris.com/
Poemas : 

Tradução

 
Traduza-me
quando
navegares
rios
descobertos
nos meus
olhos.

Continuas
a sentir
o hálito
que respirastes
na minha boca?

Não és o único
ser a inspirar
meus versos.

Há tantas
flores efêmeras
a iludir-nos
no caminho!

Por isso, meu amor,
não te perco
no horizonte!

Não desistas
de esperar
uma manhã
de água doce.

O que dizer daqueles que pedem ar puro, chuva e pão?
...
Escrevo
acompanhado
de whisky
on the rocks.

Tens um traço de adulto amargo
e de um menino cheio de ternura.

Estou no princípio
das coisas feitas
da consistência
dos astros.

Prolongam-se
asas na vida,
às vezes, mar
em desassossego.

A alma se veste
de espuma
com vestígios
de luares.

Na madrugada decifro delírios
dos náufragos.

No quarto de esperas o tempo
é sempre igual.

Quando
fores embora,
que seja inverno
na tarde dispersa
pela chuva.
...
Movimento-me
na construção
do meu caminho.

Penetro a beleza das coisas.
Percebo lágrimas
entre rosas e árvores.

Caem deuses.
debaixo de chuva
e na dureza dos arcos.

O sol reflete
a serenidade
das flores
nos quintais.


Poemas em ondas deslizam nas águas.

 
Autor
RaipoetaLonato2010
 
Texto
Data
Leituras
135
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
4
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 31/05/2020 02:40  Atualizado: 31/05/2020 02:40
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16667
 Re: Tradução
Poeta Rai

Não desistas de esperar no final
da estrada
numa manhã
de água doce.


Seu poema é a tradução da serenidade, algo que a vida sempre pede e nos ensina! Vamos serenar!
Parabéns!
Beijos!
Janna


Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 31/05/2020 13:39  Atualizado: 31/05/2020 13:39
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 15485
 Re: Tradução
São tantas construções poéticas delicio e engenhosas que se eu fosse transcrever para o comentário teria que copiar o texto inteiro e copiar ele aqui. Destaco, então, essa parte que me encheu os olhos:
"
A alma se veste
de espuma
com vestígios
de luares.

Na madrugada decifro delírios
dos náufragos."