https://www.poetris.com/
 



No caminho que vou, vou
de mochila leve.
Como pena que o vento leva...
vou;
Porque sonhos não pesam e suas marcas nos ombros são borboletas tatuadas.

No caminho, lá no fim, o horizonte
é uma linha enfeitada de barcos coloridos e velas estufadas.

Vou sorrindo, vou cantando,
tudo vou namorando...

Até alcançar a realidade que me aguarda
paciente e descansada, naquele, que pensava ser, fim do caminho...
Na mochila que trago pelo caminho,
quando volto, o peso é dividido
em conforto e desconforto.

As marcas que deixa nos ombros não
se tatua; imprime-se n' alma.

Livro a ser folheado sempre que os sonhos
falarem que o caminho pertence somente
a eles.



 
Autor
GinaCortes
 
Texto
Data
Leituras
72
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
1
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
fernandobarbosa
Publicado: 09/07/2020 18:11  Atualizado: 09/07/2020 18:11
Colaborador
Usuário desde: 27/08/2008
Localidade:
Mensagens: 854
 Re: caminho
De facto uma excelente obra poética, contada com muita imaginação. O longo caminho da vida, permite-nos folhear os encantos que envolvem toda a nossa vivência.

Quão lindo é sentirmos esta aproximação, pelos caminhos que tão amorosamente, partilhamos. fernando