https://www.poetris.com/
Sonetos : 

HÁ UMA VOZ A DUAS VOZES

 
HÁ UMA VOZ A DUAS VOZES

Há uma voz que consente a mentira
Outra que é omissa e desigual
Tudo quanto constrói a outra mão retira
E persistem em dizer que tudo é igual.

O branco, diz este, aquele outro tira
Do preto, o ímpeto primordial.
Se no mundo há gente que delira
É porque algo não está bem, no mundo actual.

A cada novo dia o mundo é um animal
Que devora tudo quanto é doente
Como uma perna com gangrena: é factual…

Fácil para o predador morder a cervical
Da presa derrubada e dolente
Caída na areia do deserto- imparcial.

Jorge Humberto
12/09/20
Santa-Iria-da-Azóia


 
Autor
jorgehumberto
 
Texto
Data
Leituras
28
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.